Curso da Embrapa e Senar/AC aborda técnicas para reforma de pastagens

Realizada pela Embrapa Acre, em parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural no Acre (Senar/AC), a capacitação acontece no dia 18 de agosto de 2011, no auditório da Federação de Agricultura e Pecuária do Acre, das 8 às 17 horas. O evento é gratuito, com vagas limitadas a 70 participantes e as inscrições deverão ser feitas com o Serviço de Atendimento ao Cliente da Embrapa Acre, pelo telefone (68) 3212-3401.

Serão abordadas todas as etapas necessárias para a reforma de uma área degradada. Os conteúdos contemplam desde o planejamento da atividade, seleção de forrageiras, técnicas de preparo do solo e plantio de gramíneas até o manejo da formação de pastagens e os custos das diferentes modalidades de reforma.

Com um rebanho bovino de 2,5 milhões de cabeças, o Acre possui 1,5 milhão de hectares de pastagens cultivadas. Aproximadamente um terço desse total, equivalente 500 mil hectares, está degradada ou em vias de degradação. O problema envolve cerca de 20 mil criadores de gado em todo o Estado e representa forte limitação ao desenvolvimento da pecuária na região. Como conseqüência, reduz a capacidade de suporte das pastagens e provoca perda na produtividade do rebanho, resultando em prejuízo para os produtores.

De acordo com o pesquisador Carlos Maurício Andrade, instrutor da capacitação, no Acre a degradação de pastagens tem diversos fatores, mas a principal causa é a síndrome da morte do capim braquiarão, doença fúngica ocasionada pela pouca tolerância dessa gramínea a solos de baixa permeabilidade, característicos da região.

“O manejo inadequado, a perda da fertilidade do solo, a ocorrência da cigarrinha-das-pastagens, a utilização de capins pouco adaptados às condições de clima e solo da região e o desconhecimento de técnicas adequadas para plantio de gramíneas e forrageiras também contribuem para agravar a situação”, explica o pesquisador.

Em dezembro de 2010 um estudo focal sobre a pecuária no Acre, realizado pela Embrapa, identificou a necessidade de incorporação de técnicas para reforma de pastagens como uma das principais demandas tecnológicas deste segmento. O objetivo do curso é proporcionar conhecimentos e informações para solucionar o problema de forma definitiva.

Segundo Andrade, a pecuária acriana ocupa regiões com características de solo e topografia diferenciadas. Essas variações implicam o uso de espécies forrageiras distintas, além de técnicas adequadas de plantio e correção dos solos. No Vale do Acre, onde estão localizados municípios como Rio Branco, Capixaba, Acrelândia, Senador Guiomard, Plácido de Castro e Xapuri, os solos são mais arenosos, bem drenados e de menor fertilidade.

“Nessa região, o trabalho de reforma de pastagens exige cuidados específicos, principalmente na correção da fertilidade dos solos. Nesse contexto há a necessidade de realização de análises de solos e aplicação de fertilizantes e corretivos (adubos e calcário), de acordo com as especificidades de cada área”, diz. (Ascom Embrapa Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation