Eletricitários terceirizados podem deflagrar greve

Os eletricitários ligados a empresas que prestam serviços ao sistema Eletrobras Distribuição Acre podem, ainda neste mês, deflagrar uma greve por melhores salários e condições de trabalho.
Greve_eletricitrios
Eles querem a formulação e implantação de um  Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), além de uma equiparação salarial com os demais eletricitários. Desempenhando as mesmas funções, alguns funcionários chegam a receber a metade do que ganha os eletricitários da Eletroacre.

A terceirização pode suprimir direitos por causa de cláusulas contratuais. “Esses trabalhadores, que fazem os serviços de distribuição e levam a energia até as nossas casas, não têm salário digno e compatível com seu trabalho”, disse o representante da categoria, o presidente do Sindicato dos Urbanitários, Marcelo Jucá. Para ele, os serviços destes profissionais requerem uma melhor qualificação e treinamento, uma vez que possuem ‘certa complexidade’.

Além do reajuste salarial e melhores condições de trabalhos, os funcionários também querem auxílio-creche, assistência médico-hospitalar-odontológica, ticket- alimentação, auxílio-funeral, seguro de vida e prevenção de doenças. “Estamos buscando o caminho da negociação, do diálogo, ouvindo todas as empresas prestadoras desses serviços-fins, para avançar em nossas reivindicações e, não obstante, levar um serviço de qualidade à população”, esclarece Jucá.

O Sindicato dos Urbanitários do Acre, Amazonas, Rondônia, Piauí e Roraima e Alagoas denunciam, ainda, que a Eletrobras pretende vender as distribuidoras de energia. Demissões em massa, precarização dos serviços, aumento exorbitantes das tarifas, exclusão das parcelas mais carentes da população, acidentes e mortes constantes de trabalhadores em suas atividades por falta de condições de trabalho dignas. Estas seriam, segundo os sindicalistas, as principais consequên-cias da política de privatização.

 

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation