Falta escolar faz 39 beneficiários perderem o Bolsa Família no Acre

Mais uma vez a falta de compromisso com a freqüência escolar dos filhos fez com que 15 mil brasileiros perdessem em julho uma importante fonte de renda: o Bolsa Família. No Acre, a evasão levou a perda de 39 contemplados. Destes, 14 benefícios foram parcialmente cancelados, ou seja, foi tirada a parcela de R$ 38 a R$ 76 que são destinadas aos jovens de 16 a 17 anos. A outra parte dos recursos continuará sendo paga a eles, desde que as crianças de 6 a 15 anos tenham alcançado pelo menos 85% de freqüência nas aulas de abril a maio.
Bolsa-familia
Ao todo, o programa designou R$ 58.707 para 1.300 beneficiários no Acre. Deste montante, 756 famílias foram advertidas (58,2% do total); 318 foram bloqueadas (24,5%); 108 receberam a 1ª suspensão (8,3%); 79 receberam a 2ª suspensão (6,1%); além dos 39 beneficiários que já tiveram as suas mensalidades no Bolsa Família canceladas (3%).

Em todo país, os ministérios do Desenvolvimento Social (MDS) e da Educação (MEC) monitoram 14,4 milhões de estudantes de 12,9 milhões de famílias beneficiadas. Destes, 297.441 tiveram registros em alguma instância por causa da evasão escolar.

Para ter acesso ao programa, a família deve possuir renda fixa mensal abaixo de R$ 140 por pessoa. A solicitação é feita pelas prefeituras das cidades onde moram tais famílias. Os valores variam conforme a quantidade de filhos com menos de 17 anos da família. Já para não perder o benefício, os contemplados devem cumprir várias contrapartidas na área de Saúde (ex: carteira de vacinação em dia) e de Educação (ex: cumprir a freqüência mínima escolar de 85%).

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation