Ibama nega Licença de Instalação do 2º Linhão

O Ibama não liberou Licença de Instalação do 2º Linhão. A data prevista para anúncio era dia 17, última quarta-feira. Os motivos para a resposta negativa ao início das obras não foram discutidos com os gestores locais da empresa geradora de energia. Uma reunião entre a diretoria da Eletronorte e a superintendência regional do órgão ambiental está marcada para acontecer aqui em Rio Branco na próxima segunda-feira pela manhã. O superintendente do Ibama/Acre, Diogo Selhorst, nega que as obras não são executadas por causa da atuação do órgão federal. “Nós temos uma legislação a cumprir”, explica. “Houve atraso no processo de licitação das obras, mas isso não é de nossa responsabilidade”.

De fato, houve atraso no processo licitatório. Mas, esse é um problema superado. A obra está orçada em R$ 240 milhões e deve ser concluída em setembro do ano que vem, caso novos atrasos não ocorram. Equipes da Eletronorte já estavam aguardando em pontos estratégicos o anúncio da liberação da Licença de Instalação para início dos trabalhos. O valor da obra de instalação da Linha 2 prevê a adequação da atual estrutura (nas subestações de Porto Velho, Abunã e Rio Branco).

“Os problemas com os apagões não são em função da ausência da segunda linha de transmissão”, avalia o superintendente do Ibama/AC. E alfineta. “Antes de cobrar a instalação da segunda linha de transmissão é preciso verificar o que está acontecendo com a gerência e manutenção da linha um”. De acordo com Selhorst, a diretoria de licenciamento do Ibama em Brasília deu autonomia para que as unidades regionais pudessem fazer avaliações e liberar as licenças.

A reunião prevista para acontecer na segunda-feira deve contar com a presença do diretor técnico da Eletronorte, José Eliaz Rosa. A expectativa é de que nesse encontro sejam expostos os motivos que levaram o Ibama a não efetivar a liberação da licença. Resolvido o impasse, os encaminhamentos devem ser feitos para que as obras iniciem o mais rápido possível.
Sem a estrutura do 2º Linhão, o Acre fica mais uma vez vulnerável a episódios como o ocorrido na última segunda-feira quando o Vale do Acre inteiro ficou sem energia por causa do sistema de proteção das linhas de transmissão. Em função das queimadas ocorridas ao longo da BR-364 entre Porto Velo e Rio Branco, o sistema bloqueou a passagem de energia elétrica.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation