Metro quadrado acreano fica R$ 32,33 mais caro em julho

O começo do 2º semestre do ano realmente não está sendo a melhor época para construir no Estado. Segundo o relatório de julho do Sinapi (Sistema Nacio-nal de Pesquisa de Custos e índices da Construção Civil) do IBGE, o metro quadrado (m²) local inflacionou 3,84%, equivalente a R$ 32,33 de aumento sobre o valor de junho (R$ 841,08). Com a alta, o Acre ficou com o m² custando R$ 873,36. Tal valor fez o Estado ter o terceiro m² mais caro do país, perdendo apenas para os dois lugares que são 1º e 2º há anos no ranking nacional: RJ (R$ 898,85) e SP (R$ 876,34).
ACRE-Pisos
O boom no custo do m² acreano foi tão expressivo que o colocou a 9,15% (R$ 73,34) acima da média nacional, que foi de R$ 800,02. O crescimento local foi considerado pelo IBGE ‘atípico’ em relação ao resto do país. Inclusive, foi 7 vezes acima do ritmo nacional (0,55%). Os preços do AC, SP e RJ ficaram mais de R$ 33,00 acima dos demais estados do país.

Na região Norte, o Acre desta vez ultrapassou Roraima (que foi o 4º mais caro do país, com R$ 849,87) e ficou como o m² mais caro. A média regional era foi R$ 799,81, ou seja, 9,2 % (R$ 73,55) a menos do que o valor cobrado no Estado.  

Para fazer o cálculo do Sinapi, o IBGE e a Caixa Econômica Federal leva em conta todos os tipos de materiais de obras (madeira, madeira de correr, tijolos, telhas, cimento, areia e brita, azulejos, basculantes e etc), além de fatores do mercado (salários da mão-de-obra).

Assuntos desta notícia


Join the Conversation