PM e Força Nacional vão se revezar na proteção de base do Xinane

Depois de sobrevoo na região do Igarapé Xinane, onde está localizada a base da Frente de Proteção Etnoambiental do Rio Envira (FPERE/Funai) que sofreu ataques de paramilitares peruanos no final de julho, a secretária Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki; o presidente da Funai, Márcio Meira e o diretor da Força Nacional, Alexandre Aragon reuniram-se no início da noite de ontem com representantes do Exército, Polícia Federal, Polícia Militar do Estado e secretários de governo para traçar as estratégias de proteção da área de fronteira, preservar a integridade física de índios isolados e seus territórios e garantir a segurança dos funcionários da Fundação Nacional do Índio e indigenistas que permanecem na base.
PM-e-nacional
Mas eles terão que esperar. Somente no final de agosto, o efetivo do Exército que desenvolve uma ação em Sinop (MT) será deslocado para a região. Durante este período a Funai se comprometeu a fazer um levantamento da área e das comunidades indígenas existentes. A Frente de Proteção Etnoambiental do Rio Envira já realiza o monitoramento de grupos de índios isolados há décadas na região. A Polícia Militar e a Força Nacional deverão atuar em conjunto, em sistema de revezamento até a chegada do Exército, para garantir segurança da área.

A secretária Nacional de Segurança Pública disse que o resultado da reunião irá compor um relatório que será encaminhado ao ministro da Justiça. A chefe do Gabinete Civil, Marcia Regina, que junto com o secretário adjunto de Segurança Pública, Ermício Sena, representaram o governador Tião Viana na reunião destacou a necessidade de implantação de um programa de segurança para a fronteira e pediu intervenção imediata e clareza das ações por parte do Governo Federal. A Fpere é ocupada por quatro funcionários da Funai e pelo indigenista José Carlos Meirelles que depois de ação da Polícia Federal culminando na prisão do português Joaquim Fadista, retornou à base do Xinane para impedir nova invasão de peruanos.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation