Programa quer estimular a competitividade entre pequenas empresas da construção civil

Estimular a competitividade das pequenas e médias indústrias acreanas. Este é o objetivo do Procompi, lançado pelo Instituto Euvaldo Lodi e Federação das Indústrias do Acre na última sexta-feira, 29, reunindo empresários do setor. O programa promove consultorias, acompanhamento dos projetos, busca de parcerias e a formação de preços para o segmento da construção civil. Realizado desde 1998 no Acre, esta é a quarta edição do Procompi e será desenvolvida até 2013.

Com a difusão de informações e estímulo à cooperação entre as empresas, o programa valoriza a organização do setor e o desenvolvimento empresarial e territorial com o fortalecimento das micro e pequenas indústrias com atuação em ações coletivas, maior integração com outras instituições, induzindo ao desenvolvimento sustentável. “É uma forma de fortalecer e ampliar a competitividade das empresas da cadeia da construção civil acreana na realização de obras de habitação popular, com a implantação de ferramentas de gestão para elevar a qualidade, expandir mercados e elevar a lucratividade”, explica a superintendente do IEL, Socorro Bessa.

Entre as ações previstas estão a Política de Formação de Preços, que consiste em calcular custos unitários de produtos, insumos e serviços comparando-os com as tabelas oficiais e adequando-os à realidade do Estado. No planejamento está ainda a avaliação de parâmetros de produtividade da mão-de-obra local, oferta de consulto-rias e capacitações para melhorar as gestões ambiental e empresarial, por exemplo.

Carlos Afonso, presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Acre (Sinduscon) acredita que a iniciativa é importante para a condução dos negócios do setor. “Temos a sorte de contar com uma equipe tão bem preparada e experiente nessa área. O Procompi vai trazer muitos benefícios para nós e temos essa necessidade. O mercado hoje está altamente competitivo e se não melhorarmos e corrermos em busca do aprimoramento dos nossos processos ficaremos para trás”, diz. Após a reunião, mais 4 empresas aderiram ao programa que prevê a realização de seminários e encontros de empresários do setor, além de estudos de viabilidade econômica, oficinas de inovação, pesquisa de sondagem de insumos, participação em feira nacional, realização de seminário de programa de qualidade.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation