Dilma Rousseff manifesta apoio ao ministro da Agricultura

A presidente Dilma Rousseff defendeu, na segunda (8), o ministro da Agricultura, suspeito de envolvimento com um lobista. Wagner Rossi, que é do PMDB, afirmou que as denúncias serão investigadas.

Wagner Rossi afirmou que não há ilegalidades no Ministério da Agricultura. Ele disse também que a disputa por poder entre diretores da Conab estaria alimentando as acusações que colocam o ministério no centro da crise política há duas semanas. Na Conab há indicados de vários partidos, entre eles do PMDB, PTB e do PT.

Wagner Rossi informou que pediu à Controladoria-Geral e à Advocacia-Geral da União para investigar as denúncias. “Todos os servidores citados ou outros que venham a ter relação com os assuntos tratados naquela denúncia serão ouvidos, garantido o direito de ampla defesa e o contraditório e, apurada qualquer irregularidade, seja por parte de quem for, nós tomaremos as medidas no limite da lei”, declarou.

A ‘Veja desta semana afirma que o lobista Júlio Fróes tinha escritório dentro do ministério, onde negociava licitações e editais para empresas prestadoras de serviço.

Segundo a revista, Julio Froés cobrou 10% de gratificação para a renovação do contrato com uma gráfica e afirmou que o pagamento era exigência do secretário-executivo, Milton Ortolan. A gráfica se recusou a pagar.

O lobista negou as acusações. Milton Ortolan pediu demissão do cargo e negou que seja conivente com irregularidades e desvios.

Para a oposição, o ministro deve mais explicações. Rossi vai depor no Senado na quarta-feira (10). O PPS pediu, nesta segunda-feira (8), que o Ministério Público investigue as novas denúncias. “Porque o segundo homem do Ministério da Agricultura pediu demissão pela simples denúncia? São questões que precisam ser investigadas e cabe ao Ministério Público fazê-los”, afirmou o deputado Roberto Freire, presidente do PPS.

O senador Blairo Maggi, do PR, reclamou que o governo está dando tratamento diferente ao PMDB. Segundo ele, a presidente Dilma foi mais rigorosa com as denúncias contra os aliados do PR que estavam no Ministério dos Transportes: “Tem que ser para todo mundo igual. Não é porque o PMDB é o maior partido e o PT é o partido do governo que, se acontecer alguma coisa nesses partidos, nenhuma providência será tomada”, questionou Blairo Maggi.

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, conversou por telefone com Wagner Rossi. Disse que o governo está satisfeito com a forma com que ele está tratando as denúncias contra o ministério.

Nesta segunda-feira de manhã, a presidente Dilma Rousseff afirmou que as acusações não atingem diretamente Wagner Rossi e deu apoio ao ministro. “Ele já tomou as medidas, então nós estamos, sem sombra de dúvidas, reiterando a confiança no Wagner Rossi”, afirmou Dilma. (Jornal de Floripa)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation