Política local 02/09/2011

“Quem quiser conduzir uma orquestra deve dar as costas ao público”.

 (Max Lucado)

Acreditando na palavra
A presidente do PV, Shirley Torres, se mostra cética quanto a possibilidade do deputado federal Henrique Afonso (PV) voltar atrás na decisão de disputar a PMRB. Sobre o parlamentar já ter feito um acordo com o PT para pular fora, rebate: “não é isso o que prega no partido”.

Franca articulação
Henrique Afonso, garante ela, está em franca articulação nas bases da sua candidatura.

Conversa franca
Shirley revelou ontem à coluna que teve uma conversa franca com o presidente do PT, Leonardo Brito, ao qual reafirmou a decisão da direção regional de ter um nome à PMRB.

Não repetir
Shirley avalia que Henrique Afonso tem chance de ir ao segundo turno, que é imensa sua aceitação no meio evangélico, e que o PV não vai repetir o erro de não disputar o Senado.

Contraponto da coluna
Enquanto tinha a conversa com a presidente do PV, o deputado federal Henrique Afonso voava ontem para o Juruá no mesmo avião de Tião Viana, como o seu convidado especial.

Filho pródigo
Como na parábola bíblica do filho pródigo, o deputado Walter Prado (PDT) voltou às boas com o governo, e pelo que chegou ontem à coluna, não mais irá para o PSD e formar na oposição.

Interlocutor direto
Segundo a mesma fonte, Prado tem sido junto com o deputado Moisés Diniz (PCdoB), o principal articulador para a ida da prefeita Marilete Vitorino (DEM) para o PCdoB.

Sem legenda
Sobre o assunto, o deputado Wherles Rocha (PSDB) comentou ontem que, mesmo que a negociação com o PCdoB não dê certo, Marilete não terá mais a confiança da oposição.

Leva chumbo
A prefeita de Tarauacá, Marilete (DEM), não aprendeu a lição básica da política que diz que “político que muda muito de partido é como macaco que pula de galho, leva chumbo”.

Uma pergunta
Marilete, como vice do ex-prefeito Wando Torquato, o traiu, armou para ficar com o cargo. E trair e coçar é só começar. Um fato para reflexão do PCdoB antes de fazer a sua candidata.

 Entre os dois
Uma fonte do PT me disse ontem que apenas o deputado Sibá Machado (PT) e o deputado Ney Amorim (PT) ainda estão no páreo para ser indicados candidato à PMRB do partido.

Discordo da oposição
Deputados da oposição criticavam ontem o governador Tião Viana por ter “comprado” os prefeitos Padeiro e Marilete Vitorino. Discordo: ora, só se compra o que está à venda.

Sem faca
Ninguém colocou a faca no pescoço dos dois para deixarem a oposição e entrar na FPA.

Correção
As críticas do deputado Eber Machado (PSDC) às mudanças malucas no trânsito foram direcionadas ao Rbtrans e não ao Detran. Correção feita, Janice Dantas.

Discussão popular
O vereador Raimundo Vaz (PRP) quer colocar no debate popular o aumento do número de vereadores na próxima legislatura. Abro com a minha opinião: é uma indecência.

Absolutamente nada
Aumentar o número de vereadores não vai melhorar em nada a vida da população.

Candidato próprio
O PP definiu que não se alia ao PT e nem ao PCdoB, em Ta-rauacá, e terá candidato próprio a prefeito, garantia esta dada pelo presidente e deputado federal Gladson Cameli (PP).

Dr. Betinho
O candidato do PSDB a prefeito de Assis Brasil, Dr. Betinho, diz que as obras do governo no município não terão influência na eleição, devido ao alto desgaste da administração municipal.

Não recebe pauta
O deputado Geraldo Pereira (PT) explicou que fez a defesa do senador Jorge Viana sem mesmo este ter sido citado na Aleac, porque não se pauta pelo que diz ou não diz a oposição.

Candidato único
Jonas da Farmácia (DEM) deve ser o único candidato da oposição à prefeitura de Acrelândia.

Balões de ensaio
Uma fonte confiável do PT me disse ontem que os nomes de Marcos Alexandre e Daniel Zen nunca estiveram no debate sério da cúpula para a PMRB, sendo meros balões de ensaio.

Guru religioso
Volta e meia o assessor político do PT, Nepomuceno Carioca, se reúne com o pastor Luiz Gonzaga, da Assembléia de Deus, para pegar uma benção. Repetiu-se esta semana.

Inverno e dengue
A prefeitura e o governo deveriam aumentar ainda mais a ação nos bairros, que não parou, de ação no combate à dengue, porque o inverno nem chegou e começam acontecer novos casos. Não se pode deixar para o pique de inverno a reativação das ações nos bairros da Capital.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation