Política nacional 01/09/2011

“Lobo não come lobo. Os deputados se protegem”.

Ophir Cavalcante, presidente nacional da OAB, sobre a absolvição de Jaqueline Roriz.

Filho de Kadafi garfou nossa grana no Brasil
Em nome dos agora duvidosos negócios com a Líbia, a Petrobras doou R$ 91 mil em 2010 a uma exposição em São Paulo do “acervo artístico” do segundo filho do ex-ditador e suposto sucessor, Saif El Kadafi, presidente da ONG “humanitária” com o nome dele, quando ela já estava na lista negra da Unesco. As horrendas pinturas de Saif e as peças arqueológicas devem estar em local incerto, como o facínora.

Mico
“O deserto não é silente”, também patrocinada pela Odebrecht, claro, foi apoiada pelo Ministério da Cultura e pela prefeitura de São Paulo.

A fonte secou
A grana da ONG na Suíça foi congelada nos EUA. Financiava navios “humanitários” a Israel com armas (até brasileiras) para palestinos.

Doidos por jatinho
O filho menos doido de Kadafi foi paparicado, com direito a jatinho da Odebrecht, em visita cercada de seguranças à Chapada Diamantina.

Rebelião
Em almoço, ontem, os líderes do PT, Paulo Teixeira (SP), e do PCdoB, Osmar Jr., acertaram desobedecer Dilma, e vão votar a Emenda 29.

‘Kit gay’ ameaça Haddad
Preocupado com a repercussão do “Kit gay”, autorizado pelo Ministério da Educação e sepultado pela presidenta Dilma, o ex-presidente Lula fez o PT encomendar pesquisa para se prevenir de ataques a Fernando Haddad, seu candidato à prefeitura paulistana. “Precisamos de vacina!”, ordenou Lula aos marqueteiros. O kit era uma espécie de manual de instruções que seria levado a crianças de 7 anos.

‘Carimbo’
Haddad ficou marcado pela criação do “kit”, em sua gestão, e também pela defesa que fez dessa obra de militantes da causa gay no MEC.

Sem remédio
O sorridente prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), passou atestado de incompetência, alertando para a dengue descontrolada neste verão.

Xadrez político
Dilma decidiu deixar em banho-maria a escolha do novo líder do Governo no Congresso. Enquanto PT e PMDB se digladiam.

Quem avisa…
Considerado um “gentleman” até por adversários, o vice Michel Temer é oposto ao temperamento búlgaro de Dilma. Em futura malcriação da presidenta, não será surpresa se ele pedir licença e sair do ambiente.

Mais duas fábricas
O Estado do Rio avançou na briga com São Paulo para ganhar a nova montadora Nissan. O governador Sérgio Cabral decidiu cobrir qualquer oferta de isenção fiscal paulista. O anúncio será em outubro, com a fábrica da Renault. Juntas, vão gerar 30 mil empregos em dois anos.

Meu carro, minha vida
Em busca de “negócios” numa palestra na Bolívia, Lula destacou que a fronteira não deve servir só ao narcotráfico. Nem um pio sobre carros roubados do Brasil que o amigo cocalero Evo Morales “legalizou”.

Tesouro da juventude
Dilma recebeu representantes da UNE, que reclamam da Educação, não dos R$ 40 milhões que ganharam do governo. Mas ela ainda não teve tempo de lamentar o assassinato da juíza Patrícia Acioli.

Juventude chapada
A passeata da UNE, em Brasília, foi marcada pelo forte odor de maconha. Os chapados manifestantes mergulharam no espelho d’água do Congresso certamente achando que estavam numa praia carioca.

Dr. Amnésia
O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), que não lembrava do jatinho da Unimed, terá nova crise de amnésia, semana que vem, quando a oposição vai pedir que inclua na pauta a votação da PEC que extingue com o voto secreto em processos de cassação.

Discriminação
Sem queixas do tratamento que sua administração recebe do governo petista, o governador tucano Teotônio Vilela ficou perplexo com a exclusão de Alagoas do programa federal de construção de presídios.

Trem da alegria
Projeto de resolução da Câmara cria cem novos cargos de delegados (20) e agentes (80) para sua “Polícia Legislativa”. A pergunta não quer calar: os policiais não seriam mais úteis combatendo o crime nas ruas?

Pergunta na Bodeguita
Fidel morreu de novo?

PODER SEM PUDOR
Pelada política
Ney Suassuna (PB) era senador e líder do PMDB quando, em almoço com o presidente eterno da CBF, Ricardo Teixeira, enumerou as agruras que enfrenta no seu dia-a-dia. O cartola ouviu o relato com espanto e depois desabafou, arrancando gargalhadas:
– E eu achava que futebol era complicado…

Assuntos desta notícia


Join the Conversation