Direito de saber

Oportuna e esclarecedora, sob todos os aspectos, a entrevista publicada domingo neste jornal do secretário da Fazenda, Mâncio Lima. Mostrando dados, contestando versões, o secretário fez uma radiografia completa das finanças do Estado, abordando pontos nevrálgicos que vinham suscitando dúvidas e mesmo condenações por parte, sobretudo, das oposições.

Um desses pontos é o endividamento do Estado, com os sucessivos empréstimos que vêm sendo contraídos nas mais diversas instituições financeiras. Como se leu, segundo o secretário, o endividamento está sob controle e os dados estão disponíveis no Tribunal de Contas, na própria Assembléia Legislativa e em outros órgãos de fiscalização.

Mesmo que este e outros assuntos abordados na referida entrevista possam ser contestados, o esclarecimento, a prestação de contas dos atos e dos recursos públicos sempre são bem vindos e necessários.

Tanto a sociedade como a classe política têm o direito de saber tudo sobre as finanças do Estado, como os recursos estão sendo aplicados, a responsabilidade na tomada de empréstimos e outras questões que mexem com a vida dos cidadãos.  

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation