Bancários rejeitam proposta e podem entrar em greve no dia 27

Os bancários da capital acreana em assembléia realizada ontem, 22, na Praça Povos da Floresta, rejeitaram a proposta feita pela federação dos bancos (Fenaban) e votaram pela greve a partir do dia 27.
Os bancários ao rejeitar a proposta patronal aproveitaram para reivindicar um percentual ainda maior de reajuste real de salário, valorização dos pisos, melhoria na participação dos trabalhadores nos lucros dos bancos e condições dignas de trabalho. Uma nova rodada de negociação entre patrão e empregados ocorre nesta sexta-feira, em São Paulo.
Bancarios
Na rodada de negociações realizada na terça 20, os representantes das instituições financeiras propuseram reajuste de 7,8% para corrigir salários, piso, vales refeição, alimentação, auxílio-creche e a parte fixa e valor adicional da PLR.

A proposta, que na prática representa pífios 0,37% de aumento real – inflação medida pelo INPC de setembro de 2010 a agosto de 2011 foi de 7,4% -, vem sendo rechaçada por diversos trabalhadores que colocaram a Boca no Trombone.

A proposta foi rejeitada na mesa de negociação pelo Comando Nacional dos Bancários que orientou os trabalhadores a rejeitarem na assembléia de ontem. E, na segunda-feira, dia 26, caso haja nova proposta, será apreciada, ou os trabalhadores iniciarão greve por tempo indeterminado”, afirma a presidenta do Sindicato, Elmira Farias.

 – A categoria está mobilizada para uma possível greve, mas os patrões têm oportunidade de evitá-las, mas para isso, terão que melhorar a proposta apresentada na terça-feira (20), comentou Elmira Farias.
Aumento real de 0,37%

A proposta de 7,8% apresentada pelos bancos na rodada de negociação de terça-feira 20 foi prontamente rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários. Afinal, o setor que viu, somente no primeiro semestre, o lucro dos sete maiores crescer quase 20%, chegando à casa dos R$ 26,5 bi, quer pagar aos seus funcionários aumento real de somente 0,37%, descontado o que já foi perdido para a inflação de 7,4% de acordo com o INPC. (Assessoria)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation