Caged indica que o Acre teve 3.241 admissões e 2.742 demissões em julho

A pesquisa mensal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelou que o Acre teve um saldo de 499 empregos em julho deste ano. Tal extrato é resultado das 3.241 novas contratações menos as 2.742 demissões registradas em julho. O saldo foi 46,86% menor do que o de junho (939). No entanto, se manteve 0,72% acima da média histórica do estudo e foi 31,66% superior a julho de 2010 (379). Assim, julho de 2011 foi o 2º melhor desempenho para o mês desde 2003. O 1º melhor saldo de julho foi em 2006, que teve 819 novos empregos.
Pedreiro
Rio Branco e Cruzeiro do Sul foram os grandes movimentadores do mercado local. A Capital teve saldo de 112 vagas (2.351 contratações – 2.239 demissões). Já a maior cidade do Juruá registrou um saldo de 163 cargos (380 admissões – 217 exonerações). 

Dos 499 novos cargos do saldo acreano de julho, 4 setores geraram números positivos e 3 foram negativos. Os positivos foram: indústria de transformação (251), construção civil (161), comércio (100) e agropecuária (21). Os negativos foram a Administração Pública (-11), Serviços em Gerais (-23) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-1).

A construção civil (apesar de ser o setor com 2º melhor saldo em julho), junto com serviços gerais, foram as 2 áreas que justificam a queda de 46,86% na geração de empregos do Estado em comparação com junho. Com efeito, em junho a construção civil e serviços gerais tiveram, respectivamente, saldos de 422 e 140 novos empregos. Em julho, a construção teve um desempenho 61,85% pior (261 vagas a menos). Já serviços foi 116,4% pior (- 163 vagas).

A variação histórica de 0,72% do Acre foi a 7º maior do país, atrás do Amazonas (1,08%), Amapá (1,05%), Pará (1,04%), Mato Grosso (0,8%), Ceará (0,74%) e Maranhão (0,74%). Entretanto, se levados em conta os volumes de contratações, o Acre ficou classificado no ranking do Caged em 24º lugar, à frente apenas de Tocantins, DF e Roraima. As menores médias dos saldos foram Distrito Federal (0,05%), Bahia (0,12%) e Santa Catarina (0,17%).  

Em todo Brasil, o Caged – indicador do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – verificou 1.696.893 admissões e 1.556.300 destituições. Assim, o sal

do nacional foi de 140.563 novos cargos (0,38%, isto é, o desempenho acreano foi quase o dobro). O levantamento de julho foi divulgado pelo MTE na noite da última quarta, dia 14.

 

 

 

 

 

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation