Desvio do rio madeira em jirau será nesta quarta

A Usina Hidrelétrica Jirau atinge um dos estágios mais importantes da construção. Nesta quarta-feira, 28 /09, será feito o desvio, que permitirá que o Rio Madeira passe pelos vãos rebaixados do Vertedouro, a estrutura que regulará o nível do reservatório quando a Usina estiver funcionando.

Esse é o segundo desvio do rio. O primeiro foi em abril de 2009, quando foram construídas ensecadeiras (barragens provisórias) que restringiram o fluxo do Rio Madeira totalmente ao canal localizado à esquerda da Ilha do Padre, para permitir a construção do Vertedouro no leito original. Agora, para realizar o segundo desvio, são removidas as ensecadeiras que protegem o Vertedouro, permitindo o início da passagem de água por seus vãos.

Segundo o diretor-presidente da Energia Sustentável do Brasil, Victor Paranhos, o desvio é um marco na construção de uma hidrelétrica e está sendo feito no prazo previsto, 27 meses após a emissão da Licença de Instalação definitiva – LI.

Com  o Rio Madeira desviado, o próximo passo será a construção da barragem principal no leito original do rio. Enquanto isso, a concretagem e a montagem dos componentes elétricos e mecânicos continuam a ser executada, em áreas protegidas das cheias. O enchimento do reservatório  se iniciará em meados de 2012, após a conclusão das obras civis e a montagem das Unidades Geradoras da Casa de Força 2 . Neste momento, 15 mil operários trabalham nos canteiros da Usina Hidrelétrica de Jirau e a previsão é de que a primeira máquina  entre em operação no 2º semestre de 2012.

A UHE Jirau, quando concluída, terá capacidade de 3.750 MW, a 14ª Usina do mundo, o suficiente para abastecer mais de 10 milhões de residências. A geração será feita por 50 turbinas do tipo bulbo, de 75 MW cada, sendo 28 instaladas na Casa de Força 1 e 22 na Casa de Força 2.

Vertedouro – Com mais de 40m de altura, o Vertedouro é uma das maiores estruturas da Usina. É constituído por 19 pilares, sendo cada pilar medindo uma média de 37m de altura, 65 de largura e 5 de espessura. Os 18 vãos que se formam entre os pilares, medindo cada um 25m de altura por 20 de largura, abrigam as comportas, grandes portas metálicas que se movem para regular o nível do reservatório.

A estrutura foi projetada para suportar uma vazão de 85.000 m³/segundo, equivalente à maior cheia dos últimos 10 mil anos. A vazão de cheia do Rio Madeira que ocorre anualmente é de 40.000 m³/segundo, sendo que no período de estiagem chega a cair para 4.000 m³/segundo.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation