Sesacre faz apresentação da evolução do TFD nos 7 primeiros meses da gestão

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) apresentou na última semana, o relatório de atendimentos realizados pelo Programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) de janeiro a julho de 2011. O relatório dos 7 primeiros meses apresenta dados consolidados indicando um crescimento importante em relação aos atendimentos prestados aos pacientes que necessitaram de atendimento fora do seu domicílio em 2010.

Participaram da apresentação a secretária de Estado de Saúde, Suely Melo, o secretário adjunto de Atenção à Saúde, José Amsterdam Sandres, a coordenadora da Diretoria Executiva da Sesacre, Celene Prado, a gerente do TFD, Ediná Monteiro, a gerente do Departamento de Vigilância em Saúde, Izanelda Magalhães, e assessores do gabinete do governador Tião Viana.

Durante todo o ano de 2010 foram registrados 4.530 novos processos intermunicipais, desses, foram atendidos 3.515, representando 77,59% de cobertura. De janeiro a julho deste ano os novos processos para tratamento fora de domicílio dentro do Estado foram de 4.596, sendo que 2.492 já foram atendidos, mais 50% de cobertura, em apenas 7 meses.

Já o demonstrativo dos processos interestaduais indica que, em 2010, 2.550 pacientes deram entrada para realizar procedimentos fora do Estado e 2.107 foram atendidos. Em 2011, das 1.558 solicitações, 1.457 pacientes foram encaminhados para tratamento em outros estados.

Em 2010, foram investidos mais de R$ 3 milhões para atender 7.030 pacientes, juntamente com 4.920 acompanhantes, que fizeram tratamento de saúde na Capital do Acre. Conforme o relatório, de janeiro a julho do ano corrente, os investimentos já passam de R$ 2 milhões, e os atendimentos foram de 4.984 pacientes e 3.483 acompanhantes.

Ainda no ano de 2010, para os pacientes que realizaram atendimentos nas unidades de referências em outros estados, foram gastos cerca de R$ 6 milhões, incluindo os acompanhantes – tanto para retorno, como para novas consultas. De janeiro a julho de 2011, o valor subiu para mais de R$ 7 milhões. Cada paciente e acompanhante representa para o cofre público um investimento de R$ 1.578,00, ao mês. Dependendo do caso, sai mais barato trazer o médico até o Estado do que deslocar o paciente.

“É importante destacar que do total de pacientes encaminhados todos os meses para Tratamento Fora de Domicílio, cerca de 40% vão realizar a primeira consulta, os outros 60% são pacientes que precisam fazer acompanhamentos periódicos”, esclarece a secretária de Estado de Saúde, Suely Melo.

Para a secretária, os custos de TFD são elevados, mas o Governo do Estado prioriza a saúde dos acreanos e vem trabalhando para ampliação e implantação de serviços de saúde para reduzir a necessidade de deslocamentos de muitos pa-cientes. (Ascom Sesacre)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation