Sesacre recebe 52 mil mosquiteiros anti-malária

A Sesacre adquiriu mais 52 mil mosquiteiros para combater a malária. Eles se somam aos 42 mil já distribuídos no Acre e que já estão contribuindo para a redução da malária. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde indicam que, entre janeiro e junho de 2011, os casos de malária registrados na Amazônia Legal caíram 31% nos primeiros 6 meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. O Acre foi o Estado com o maior índice de redução, com quase 40%.
Malaria
Os Mosquiteiros Impregnados de Longa Duração (Mild) é um dos métodos mais eficientes no controle à malária. Ele dura até 20 lavagens (feitas a cada 3 meses). O índice de aceitação do Mild pelas famílias é de quase 100%. “Este é melhor índice desde 2006, quando o Governo do Estado decidiu prio-rizar as ações de combate à malária. Além dos mosquiteiros, fizemos a reorganização do serviço e distribuímos uma nova droga para o tratamento”, disse a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Izanelda Batista. 

Cruzeiro do Sul(a 650 Km da Capital) tinha um dos maiores índices de toda a Amazônia Legal. A redução no município foi 42%. “Os dados são animadores. Estamos vencendo a batalha contra a malária no 1º semestre”, comenta Izanelda, ressaltando que os novos mosquiteiros ‘reduzirão ainda mais este mal’.

A malária é uma doença infecciosa aguda, causada por protozoários parasitas do gênero Plasmodium. A transmissão acontece por meio da picada da fêmea do mosquito, que se infecta ao sugar o sangue de uma pessoa doente. Os criadouros preferenciais do mosquito transmissor são os igarapés, em razão da água limpa, sombreada e parada.Se não for tratada, a malária pode evoluir rapidamente para sua forma grave e causar a morte. Entre os sintomas mais comuns estão: dores de cabeça e no corpo, fraqueza, febre alta e calafrios. O período de incubação varia de 8 a 17 dias, podendo chegar a meses em condições especiais.

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation