Governo mobiliza cerca de 3 mil mulheres nas Conferências de Políticas Públicas

 Conferências Regionais e Municipais de Políticas para as Mulheres começaram no dia 3 de agosto. De lá para cá, 18 municípios puderam fazer parte do processo de elaboração de propostas a serem discutidas e inseridas no Plano Estadual de Políticas para as Mulheres e consequentemente, no Plano Nacional.

 Para a secretária da SEPMulheres, Concita Maia, o entusiasmo e comprometimento da equipe tornou tudo possível. “Desde que o processo das conferências foi iniciado houve uma integração total e absolutas de toda a equipe da SEPMulheres. Todos ajudando, mesmo não sendo suas áreas, cada um participou e fez com que cada Conferência Regional ou Municipal fosse realizada”, disse.

 É importante lembrar que a SEPMulheres e o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDIM) tiveram o envolvimento das primeiras-damas dos municípios. “depois da participação delas nos Encontro de Prefeitas, primeiras-damas e gestoras, realizado em parceria com o Gabinete da primeira-dama do Acre, Marlúcia Cândida, em maio deste ano, elas sentiram a importância de fazer a sua parte no que diz respeito a melhoria da qualidade de vida das mulheres. E isso é fundamental”, disse a coordenadora de Direitos Humanos da SEPMulheres, Joelda Pais.

 Agosto foi um mês de muito trabalho na SEPMulheres. O apoio dos prefeitos e prefeitas foi fundamental. A maioria se sentiu responsável pela realização das Conferências e ofereceu o município como sede, como foi o caso de Mâncio Lima que sediou a Conferência Regional do Juruá,  Sena Madureira, sede da Regional do Purus, Assis Brasil que recebeu as mulheres do Alto Acre, Plácido de Castro sede do Baixo Acre, Tarauacá, sede da Regional Tarauacá/Envira. Os municípios que realizaram suas Conferências foram Santa Rosa, Porto Acre, Rio Branco e Jordão. “Foi um processo muito longo, mas recompensador. Principalmente, quando cada um desses gestores abraça a causa e mostra que quer as mulheres de seus municípios informadas, empoderadas”, disse a assessora de Articulação Política da SEPMulheres, Rita Batista.

 Em Rio Branco, a Conferência ocorreu com a presença do prefeito Raimundo Angelim e a secretária da SEPMulheres, Concita Maia representando do governador Tiâo Viana, a representante da secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SPM), Luciana Santos e a coordenadora da Mulher da capital acreana, Rosali Scalabrin entre outras autoridades.  “Temos uma missão importante: a de elaborar propostas consistentes para a Conferência Nacional. Que tenhamos maturidade para atender as necessidades das mulheres riobranquenses”, disse Rosali Scalabrin.

“O momento é extremamente fecundo! Entretanto temos muitos desafios. Temos o compromisso fundamental com 162.415 mulheres que vivem na extrema pobreza no nosso Estado, segundo os dados do CadUnico. Desse total 67.412 são mulheres rurais e 95.003 da zona urbana. As Conferências são uma prova da sensibilidade dos prefeitos municipais e do governador Tião Viana”, disse Concita Maia.

 Em cada município foram ouvidos os relatos de vida de muitas mulheres e ficou constatada a satisfação delas em saber que as políticas públicas chegarão até lá. E com isso é possível conhecer as reais demandas para a construção de políticas públicas para essas mulheres.  “Com esses resultados, nós temos a certeza de que devemos estar focadas nos municípios e comunidades mais longínquas, ouvindo as especificidades de cada lugar, como ocorreu com as mulheres indígenas em Santa Rosa, com as trabalhadoras rurais em Sena Madureira, na campanha de documentação que foi feita em parceria com a OCA, em Assis Brasil. É um momento histórico para o Acre. Momento que o governador Tião Viana nos proporcionou quando criou uma Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres”, enfatizou Concita Maia.

 Cada dado relatado obtido durante as Conferências será sistematizado e vai constar no Plano Estadual de políticas para as Mulheres, o PEPM. Durante todo esse processo a SEPMulheres e o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDIM) estão implementando o Pacto de Enfrentamento a Violência contra as Mulheres envolvendo a Polícia Civil, as secretarias municipais de Saúde, os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS),  os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e criando seus organismos de Políticas para as Mulheres.

 Seis municípios já têm organismos de Políticas para as mulheres: Rio Branco, Porto Acre, Assis Brasil, Rodrigues Alves, Mâncio Lima e Feijó. Durante o processo foram criados em Capixaba, Bujari, Sena Madureira, Epitaciolândia, Plácido de Castro, Acrelândia e Brasileia. Estão em processo de criação os de Tarauacá, Jordão e Manoel Urbano.

 Agora, a SEPMulheres se prepara para a Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres que será realizada nos dias 21, 22 e 23 de setembro. Na Estadual serão reunidas todas as propostas elaboradas nas Regionais e Municipais, para assim, montar um só Plano e levar para a Conferência Nacional, em Brasília. “O governo do Acre marcou de forma positiva, sua presença, em todos os municípios por meio das Conferências. Estamos preparando a Estadual. É toda uma equipe que levou esperança, despertou sonhos, está fortalecendo lutas, possibilitando conquistas, enfim, servindo de todo o coração”, concluiu Concita.  (Agência Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation