Plebiscito sobre a divisão do Pará será a eleição mais cara da história

Daqui a 3 meses, os eleitores do Pará vão às urnas para decidir se o estado será dividido em 3 partes. Por trás de toda a discussão que envolve a criação de 2 unidades da Federação, existe o custo financeiro: o plebiscito custará R$ 24 milhões e, proporcionalmente, será a votação mais cara da história.

Levantamento dos Correios mostra que os gastos da consulta da divisão do Estado serão de R$ 4,98 por eleitor: 37% a mais do que nas eleições gerais de 2010, quando as despesas da Justiça Eleitoral brasileira totalizaram R$ 490 milhões (R$ 3,63 por pessoa apta a votar).

Marcada para 11 de dezembro, a consulta pública sobre a criação dos estados de Carajás e Tapajós vai custar mais que o dobro do valor do referendo do desarmamento, em outubro de 2005. Segundo dados do TSE, aquela consulta pública custou R$ 2,07 por eleitor.

O TRE do Pará informou ao Correio que a previsão de gastos com o plebiscito é de R$ 11,3 milhões. O TSE, por sua vez, detalhou que o orçamento da consulta gira em torno de R$ 24 milhões, sendo que a Corte deverá arcar com até R$ 12,7 mi. Ambos os tribunais estão buscando reduzir gastos. A expectativa do tribunal é de que possa haver economia de até 20%.

Os gastos se justificam, segundo o TRE, pela montagem das instalações em todas as partes do Pará, o que inclui locais de difícil acesso e também com os pagamentos das Forças Armadas e das pessoas que irão trabalhar no dia do plebiscito.  Além do custo, há a discussão sobre a necessidade de se realizar o plebiscito. No Congresso, existe o questionamento sobre quais interesses estão em jogo.

Calendário – O prazo para a transferência de títulos para participar do plebiscito terminou no último domingo. Balanço parcial do TRE mostra que 13.705 eleitores de outras unidades da Federação pediram a troca de domicílio desde o começo de junho. O período de campanha para o plebiscito começou oficialmente ontem. A propaganda no rádio e na TV, porém, só será exibida a partir de 27 de outubro, 45 dias antes de os eleitores irem às urnas. (Correio Braziliense)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation