Prefeito assina decreto instituindo as Metas do Milênio na capital acreana

O prefeito Raimundo Angelim assinou ontem, 31, o decreto instituindo os Objetivos do Milênio no município de Rio Branco.  O ato foi realizado durante a abertura do  lançamento da 4ª edição do Prêmio ODM Brasil, ocorrido no auditório da Firb/Faao e que contou com as presenças do governador Tião Viana e do secretário nacional de Estudos e Políticas Institucionais, Wagner Caetano, entre outras autoridades locais e nacionais. “Nós vivemos um momento singular da nossa história. O que hoje virou moda nós fazíamos há 25 anos”, disse o prefeito ao referir-se da experiência de sustentabilidade vivenciada pela Florestania, o que levou o Acre à várias conquistas – e tudo junto com a comunidade e um esforço institucional que envolve o Governo do Estado e as organizações da sociedade civil.  “No Acre, o que temos conseguido às duras penas é porque o povo está junto”, completou o prefeito. Em breve, disse Angelim, a prefeitura irá apresentar o Plano Rio Branco Sem Miséria.

Criado em 2004 pela Presidência da República em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e com o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, o prêmio reconhece publicamente as melhores práticas brasileiras pelo alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Para o governador Tião Viana, os Objetivos do Milênio convoca as pessoas à uma reconfiguração em suas convicções pessoais. “Esta luta dos Objetivos do Milênio é uma chamada à revisão de valores”, afirmou o governador que, assim como o prefeito de Rio Branco, também pediu a união e o esforço comum para que os indicadores do Acre sigam melhorando. Em nível estadual, o esforço é para tirar 113 mil acreanos da miséria.

O representante nacional do Movimento Nós Podemos, João Frederico, disse que o Brasil está na vanguarda dos Objetivos do Milênio.

O que são os Objetivos do Milênio?
1. Reduzir pela metade o número de pessoas que vivem na miséria e passam fome.
2. Educação básica de qualidade para todos.
3. Igualdade entre os sexos e mais autonomia para as mulheres.
4. Redução da mortalidade infantil.
5. Melhoria da saúde materna.
6. Combate a epidemias e doenças.
7. Garantia da sustentabilidade ambiental.
8. Estabelecer parcerias mundiais para o desenvol-vimento. (Ascom PMRB)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation