PT indicará jovem professor para a Prefeitura de Cruzeiro

Os problemas que o Partido dos Trabalhadores enfrenta em Rio Branco para indicar um candidato competitivo para disputar as eleições 2012 já foram superados em Cruzeiro do Sul, segundo maior município do Estado. Provavelmente na próxima quinta-feira (dia 15) o governador Tião Viana (PT) estará na cidade para homologar o nome do professor da Ufac, Marcelo Siqueira, como pré-candidato do partido à sucessão do atual prefeito Wagner Sales (PMDB).
Professor
Claro que existem indícios concretos de uma possível candidatura do vice-governador César Messias (PP). Mas a turbulência que ele atravessa dentro do seu grupo político somada a outros fatores poderá inviabilizar o candidato dos sonhos da FPA em Cruzeiro do Sul. Se isso acontecer o nome mais provável para ocupar a cabeça de chapa da FPA será mesmo o do professor Marcelo, de 30 anos. A indicação revela uma tendência de valorização da juventude do PT que poderá também se repetir na escolha do candidato da Capital.

Cara nova na política acreana
O perfil de Marcelo Siqueira é o de um jovem idealista do Juruá com uma história parecida com milhares de outros que precisam deixar a sua terra para conseguirem qualificação profissional. Formado em enfermagem, em Marília (SP), ele voltou para Cruzeiro do Sul para ser profissional da saúde pública primeiro para a prefeitura e depois para o Estado. Posteriormente tornou-se professor universitário concursado na Ufac.

Ele fala porque resolveu encarar o desafio de enfrentar a sua primeira eleição. “O PT fez um convite formal para que eu disponibilizasse o meu nome como candidato. Já fui homologado a nível estadual e, agora, só falta à confirmação do diretório municipal. O partido está buscando mecanismos de renovações políticas não só em Cruzeiro do Sul, mas em todo o Acre. Tenho uma relação saudável com o governador Tião Viana (PT/AC) e o senador Jorge Viana (PT/AC) e haverá o momento certo de fazerem a defesa da minha pré-candidatura porque não existe apenas o PT na FPA”, afirmou.

Marcelo não esconde o orgulho do trabalho social que está realizando. “Tenho uma ação social que já está em prática há alguns anos. Não quero antecipar disputas e nem ferir a legislação eleitoral. Por isso, vou continuar a desenvolver meu trabalho social nas instituições em que estou envolvido e com os sindicatos e vamos continuar debatendo qual seria a melhor maneira de construir uma Cruzeiro do Sul com oportunidades e geração de empregos. Através da maçonaria e dos núcleos de extensão da Ufac temos um grupo articulação que se propõe debater projetos de melhorias para as comunidades. Além de darmos apoio às ações do Governo Estadual mostrando a diferença entre o modo petista de governar o Estado e o da prefeitura de oposição que tem sérios problemas”, revelou.

O jovem petista questiona a maneira como tem sido direcionados os recursos da prefeitura de Cruzeiro do Sul. “O município de 80 mil habitantes tem uma receita de R$ 60 milhões só de repasse direto da União. As suas despesas giram em torno R$ 44 milhões. Era para estar sobrando recursos. Mas a gente sempre ouve o discurso que nunca sobra nada e que esta faltando apoio. Os números são fornecidos pela própria prefeitura e o IBGE”, protestou.

Para o pré-candidato é preciso mudar o foco dos investimentos. “Nós temos um grande potencial turístico em Cruzeiro do Sul. É uma cidade com morros, rios e igarapés e não temos uma praça arborizada. Só estão aplicando a lógica do concreto. Tenho certeza que se houver investimentos no Igarapé Preto, no Morro da Glória, podem ser criadas alternativas para gerar renda aos mais humildes. Temos que romper com essa história de que tudo é responsabilidade do Estado. O que falta é a prefeitura fazer a parte dela”, argumentou.

Parcerias
O professor também rebate do discurso do atual prefeito de que não há parcerias com o Governo do Estado. “Recentemente o prefeito Wagner Sales inaugurou uma bela praça da juventude com recursos de uma emenda da deputada Perpétua Almeida que é do PCdoB e da FPA. Além disso, o Governo do Estado vem investindo através do ProAcre em saneamento básico que pela legislação federal seria de responsabilidade dos municípios. O Estado está abrindo ramais que também seria obrigação da prefeitura. Se isso não é parceria então não consigo entender mais nada. A ponte sobre o Rio Juruá teve um custo de R$ 160 milhões. As empresas se instalaram em Cruzeiro do Sul, geraram emprego, renda e recolheram impostos de serviços à prefeitura em torno de R$ 14 milhões. Isso mostra como a prefeitura está sendo recompensada pelo Governo”, declarou.

Possibilidades de vitória
Indagado se acredita ser capaz de bater um candidato experiente como Wagner Sales, Marcelo responde: “quando a gente olha pelo censo comum vê que o Wagner é bastante conhecido. Dá a sensação de que um simples desconhecido nunca vai derrotá-lo. Parece uma luta de David contra Golias, mas na história David derrotou Golias. Se a gente prestar atenção nem sempre os nomes mais conhecidos ganham as eleições. Recentemente o presidente Lula apostou na Dilma que era uma desconhecida. No Acre, o Binho Marques (PT) tinha 2% das intenções de votos e venceu o conhecido Márcio Bittar (PSDB). Aqui em Cruzeiro do Sul também é possível que isso aconteça porque a população anseia por mudanças. Ao contrário do que a oposição pensa a FPA não colocará em jogo um nome. O que estará em pauta será um projeto da FPA de reorganização social e de infra-estrutura, emprego e renda. O PT quer apresentar um projeto e a oposição apenas um nome. Estou convicto de que podemos ganhar a prefeitura de Cruzeiro do Sul”, salientou.

Sonho do PT
Outra questão respondida pelo pré-candidato diz respeito ao sentimento anti-petista da região. “No passado os mais velhos foram educados para odiar qualquer tendência política vinculada à esquerda. Isso se aprendia na escola. Hoje as novas gerações se conscientizaram através dos meios de comunicação que tudo era uma grande mentira. A prova está no resultado da eleição de 2010 em que o governador Tião Viana foi eleito no Vale do Juruá. Todo mundo pensa que se não tivesse chovido ele teria perdido eleição. Mas é o contrário. O Tião venceu em quase 90% das urnas da zona rural com larga vantagem. Isso mostra que o governo da FPA passou a ter a aceitação da população do Juruá”, ressaltou.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation