TRE nega registro ao PSD

 No entendimento dos magistrados, a formação do Partido Social Democrático no Distrito Federal depende da instalação de diretórios regionais em 21 localidades. Representantes da sigla confiam que a decisão apenas adia a formalização da legenda. O Tribunal Regional Eleitoral negou o registro de criação ao embrionário Partido Social Democrático (PSD) no Distrito Federal. Por cinco votos a um, os magistrados não deram a autorização formal para a existência da sigla fundada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Com a decisão, o TRE acompanhou o entendimento do Ministério Público, que não concorda com a formação da legenda sem que antes sejam constituídos os diretórios em cada uma das 21 zonais existentes no DF.

 Com o impedimento judicial, a criação oficial do partido em Brasília foi adiada. Sob o comando provisório do ex-governador Rogério Rosso, o PSD tornou-se opção também para a deputada distrital Eliana Pedrosa, que, há duas semanas, deixou o DEM para se acomodar na nova legenda. A filiação de fato, no entanto, depende de formação da sigla respaldada pela Justiça Eleitoral. Nos últimos meses, o partido busca atingir a meta em vários estados e, em 1º de setembro, alcançou a marca de registros em nove estados, mínimo exigido pela legislação para a legitimação de uma legenda. Com essa conquista, o caso do DF passa a não ser fundamental para os caciques do partido, mas a criação oficial é encarada como uma questão de perspectiva política para as lideranças locais vinculadas à recém-criada legenda. Para se consolidar, o PSD precisa de nomes de peso. Mas, mesmo que atraídos pela oportunidade de novas coligações, esses nomes só vão figurar nas fileiras da nova sigla desde que estejam com as pendências eleitorais em dia.  (Correio Braziliense)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation