Política Local 13/03/12

“É complicado quando quem faz o bolo é o sapateiro e quem costura o sapato é o doceiro”.
(Ivan Andreyevich, escritor russo).

Fim da mesmice
Por enquanto é só torcida. Saber se há óleo e petróleo em  jazidas no Acre só após a licitação para a vinda de empresas fazer a perfuração das áreas prospectadas. Seja ou não positiva a perfuração, Tião Viana está certo, governo tem que pensar grande e não em vender copaíba.

Única saída
O Estado tem que buscar novas vias econômicas, viver de seringal nativo é do século passado.

Fracasso na vista
Aí está o fracasso do “Pró-Acre”, o tal de “empoderamento” de pequenas comunidades.

Segredo de polichinelo
Caminhar com o PSDB. Esta é a decisão da cúpula do PP, que deverá indicar o vereador Alisson Bestene (PP) vice de Tião Bocalom (PSDB). É típico segredo de polichinelo, todo mundo sabe.

Questão de tempo
A aliança, intermediada pelo ex-deputado José Bestene (PP), falta apenas ser anunciada.

Apenas figuração
Os deputados foram hoje à Brasileia para ouvir moradores e entidades sobre os prejuízos da alagação. Este, é mais um ato de boa vontade, não farão nada, além de ouvir os queixumes.

Tudo encaminhado
Tudo que era para ser encaminhado na ajuda às famílias do município foi feito pelo governo.

Cabe uma pergunta
Depois dessa confusão toda, com  uma nova prisão do prefeito Randinho (PMDB), é de se perguntar como andam as providências contra o prefeito de Porto Walter, Neuzari (PT)?

Muito similares
As acusações que responde o prefeito Randinho são similares a do Neuzari .

Mato sem cachorro
A direção nacional quer o PRP com candidato próprio à PMRB. Os deputados Astério Moreira e Lira Moraes já se manifestaram que não aceitam ser “boi de piranha” e prometem ficar longe.

Também fora
Os vereadores Raimundo Vaz (PRP) e Elias Campos (PRP) também não aceitam entrar na fria.

Governa mas não manda
Julinho continua na presidência do PRP, mas, na base do governa, mas não manda em nada.

Falta combinar
Os deputados Walter Prado (PRP) e Edvaldo Sousa (PSDC) garantem que o ex-delegado Messias Ribeiro (PSDC) “já ganhou” a prefeitura de Brasileia. Combinaram com o eleitor?

Os sem votos
O apoio de Prado e Edvaldo é mais moral, pois, nenhum deles tem voto em Brasileia.

É para rir
Leio uma declaração do professor Marcelo Siqueira (PT), um dos nomes na mesa da FPA para a disputa da prefeitura de Cruzeiro do Sul, chamando o senador Aníbal Diniz (PT) de “estadista”.

Negou o que disse
O ex-deputado Sérgio Barros (PSDB) negou a dirigente do PSDB que chamou Tião Bocalom de “fraude” em reunião com Tião Viana. Deve ter chamado. Há muito sustenta uma briga interna.

Jamais esperava
O problema é que Sérgio Barros jamais imaginava que sua indiscrição vazasse à imprensa.

Remonta às prévias
A mágoa de Sérgio Barros com os dirigentes tucanos remonta ao episódio em que o garfaram numa prévia no partido para a disputa da prefeitura da Capital.

Os amores do Márcio
O deputado federal Márcio Bittar (PSDB), que já morreu de amores por Ciro Gomes, morreu de amores por José Serra, agora, num passe de mágica, é Aécio Neves (PSDB) desde a mamadeira.

Prego com estopa
Márcio sabe ser Aécio o candidato à Presidência da República e quer garantir grana para disputar o governo em 2014.  Márcio, de sangue árabe, só dá prego político com estopa.

Todo mundo calado
O Politiburo do PCdoB tenta apagar de vez o rescaldo do incêndio causado pela deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) na FPA: seus dirigentes querem engajamento total da tropa.

Cravaria seco
Se me perguntarem se houve acordo por mais espaços para os comunistas no governo em troca da imolação da candidatura Perpétua cravaria seco, apenas pelo meu sexto sentido.

Saber o que quer
Um dos dirigentes que fala grosso no PT comentava ontem não saber qual a do deputado Eber Machado (PSDC): “afinal, ele é da FPA, independente, da oposição, o que”? Foi a indagação.

Tudo que pediu

Segundo a fonte, foi lhe dado tudo o que pediu para o município de Acrelândia.

Perda de tempo
O que há por trás dessa forçada de barra em Brasileia por parte de tucanos e aliados na candidatura vazia do professor Emerson (PSDB) a prefeito é na verdade uma tentativa em vão de criar fatos para negociar a retirada da candidatura de Fernando Melo (PMDB) à PMRB. Vão dar com os burros na água, a candidatura de Melo não tem mais volta. Não entenderam isso?

Assuntos desta notícia

Join the Conversation