Política Local 20/03/12

“Aquilo ali é um palco que uma panelinha de
políticos usa para dar show na TV”.
Deputado federal Romário (PSB), sobre a Câmara Federal.

Quanto mais cabra…
A oposição está naquela de quanto mais cabra mais cabrito. Ontem, na reunião da Aleac com dirigentes partidários, mais dois nomes confirmaram candidaturas a prefeito da Capital: Jamil Asfury (DEM) e Airton Rocha (PPS). Agora são cinco, somados a Fernando Melo (PMDB), Tião Bocalom (PSDB) e Luiz Calixto (PSL). O quadro plural empurra a eleição para o segundo turno.

Perde torcida
Ante o muxoxo de alguns tucanos presentes, o deputado federal Flaviano Melo (PMDB) usou uma máxima política para defender várias candidaturas: “time que não joga perde torcida”.

Soltando fogo
Quem saiu soltando fogo da reunião foi o militante tucano Birico, ante às novas candidaturas: “estão fazendo o jogo do PT, se venderam, ainda assim o Bocalom  ganha no primeiro turno”.

Que oposição?
Outro que não escondeu a raiva foi o deputado Wherles Rocha (PSDB) ao ver na mesa o deputado Denílson Segóvia (PSC): “por que o Segóvia está aí? Só vota com o governo!”

Fora da mesa
Rocha, como presidente do diretório municipal, ficou fora da mesa dos trabalhos.

Não é brincadeira!
O professor Airton Rocha (PPS) já é carrancudo, ontem estava mais ainda ao falar de sua candidatura à PMRB: “estão enganados os que pensam que sou candidato para barganhar”.

Quadro posto
O deputado federal Márcio Bittar (PSDB) confirmou a candidatura da deputada Toinha Vieira  a prefeita de Sena e o apoio do PSDB à prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino (PSD).

Vendida ao PT?
Ao saber da notícia, o presidente municipal do PSDB de Tarauacá, Paulo Ximenes, foi taxativo: “não tem quem me faça apoiar a Marilete, uma vendida ao PT, apoiarei o Chico Batista (PDT)”.

Composição à vista
Flaviano Melo (PMDB), Antonia Lucia (PSC) e Petecão (PSD) andam muito próximos de uma aliança para disputar a PMRB, com Lucia indicando uma filha a vice de Fernando Melo (PMDB).

Bem capaz!
O deputado federal Gladson Cameli (PP) também não deixou passar batido: “é bem capaz de tirar o PP da oposição e não ter o direito de indicar o candidato a vice-prefeito!”

Preto no branco
Gladson Cameli me disse que terá na quinta-feira a conversa final com o prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB): “sem o PP indicar seu vice não terá nosso apoio à reeleição”.

Papa mais acessível
Falar com o Papa Bento XVI está mais fácil que falar com o presidente do Deas,  Gildo César.

Obama perde
Pela postura da sua secretária, Gildo tem agenda de candidato a presidente da República.

Pago para ver
As pesquisas definirão as candidaturas únicas da oposição a prefeito no interior. Alguém crê?

Que candidatura é essa?
Encontro o vereador Charqueiro (PMDB) e este contesta a candidatura do Motinha (PP) a prefeito de Plácido de Castro, com um argumento: “não tem nem chapa de vereador”.

Complicado, esse Roney!
Queimado no PT, o médico Roney Firmino (PSB) pode ser candidato a prefeito de Plácido com dissidentes da oposição. Fala-se no sargento Luiz Gonzaga, marido da vereadora Laurita (PSD).

Barata tonta
Roney Firmino é igual barata tonta, quando se procura ele num lugar está em outro.

Espumas ao vento
Os tucanos estão espumando com as novas candidaturas a prefeito pela oposição. E com certa dose de razão: acaba de vez a chance do Tião Bocalom (PSDB) ganhar no primeiro turno.

Terra de ninguém
E eleição de segundo turno é terra de ninguém, tudo pode acontecer, pois, é outra eleição.

Segredo, nem tanto!
Na próxima segunda-feira o PP anunciará o vereador Alisson Bestene (PP) vice de Tião Bocalom (PSDB).

Jonas da Farmácia
A fonte é boa, Jonas da Farmácia (DEM) será o candidato da oposição a prefeito de Acrelândia.

Rei da confusão
Jonas da Farmácia é conhecido em Acrelândia como “Jonas puxa-encrenca”, rei da confusão.

Voz do além
Cardeal do PT me dizia ontem do temor com a candidatura do Henrique Afonso a prefeito de Cruzeiro do Sul pela FPA: “se ele tiver uma visão do Espírito Santo abandona a campanha”.

Riqueza é para explorar
Não existe um estado que não tenha descoberto petróleo, gás, minério em seu território e não explore. Tem que explorar, sim! Essa história de que vai causar dano ecológico é coisa de dono de ONG que vive coçando o saco o dia inteiro. Há como combinar exploração e preservação.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation