Política Nacional 16/03/12

“Não precisamos de ministério
para apoiar nossa presidente”.
Deputado André Figueiredo, líder do PDT,
contando lorota para ganhar ministério.

Blairo rejeitou Transportes por ser investigado
Além de ser dono de empresa fornecedora do ministério, o senador Blairo Maggi (PR-MT) teve outros motivos para rejeitar duas vezes o convite da presidenta Dilma para ser ministro dos Transportes. Ele é investigado pelo Ministério Público de Mato Grosso por supostas irregularidades, quando governador, em repasse a uma construtora, Encomind Engenharia: dos R$ 112,6 milhões pagos, R$ 80 milhões seriam juros por atraso na quitação de obras de governos anteriores.

Pagamentos estranhos
Outras cinco empresas, como a Andrade Gutierrez, receberam por serviços prestados em governos anteriores a órgãos extintos.

Marquinários suspeitos
Blairo também é alvo do MP por suposta participação no ‘Escândalo dos Maquinários’, que teria desviado R$ 44 milhões em 2009. 

Depuração aparente
Dilma está determinada a se livrar de políticos que tenham fama de fisiológicos. Mas só eles. Os fisiológicos dissimulados serão poupados.

Olho no retrovisor
Clama o bom senso que no encontro desta sexta, Dilma, Joseph Blatter (Fifa) e o rei Pelé evitem falar em “pontapé inicial da Copa”…

PT em estado de alerta
Há apreensão entre petistas diante da iminente nomeação de um filiado ao PSDB, Alcides Diniz da Silva, para o cargo de diretor-geral do Tribunal Superior Eleitoral. Em ano eleitoral, caberá a ele coordenar a apuração eletrônica. Diniz foi prefeito de Vazante (MG) quando filiado ao PFL, e diretor do Superior Tribunal de Justiça, quando pagamentos indevidos de R$ 12 milhões a servidores pôs o TCU na sua cola.

Inquérito suspenso
O Conselho Nacional de Justiça suspendeu o inquérito instaurado pelo então presidente do STJ, ministro Cesar Asfor Rocha, no caso Diniz.

Presidente Toroca
O treinador alagoano Walter Pitombo Laranjeiras, o “Toroca”, assumirá em setembro a presidência da Confederação Brasileira de Vôlei.

Clésio é do PMDB
O PMDB vai prestigiar fortemente a filiação do senador Clésio Andrade (MG) ao partido, na próxima segunda-feira (19), em Belo Horizonte.

IBM na calada
A IBM tenta vender por R$ 20 milhões ao governo do DF uma “sala de situação”, para momentos de emergência, semelhante a que existe no Rio de Janeiro. Quer dispensa de licitação por “notória especialização”, mas é lorota: não há exclusividade de conhecimento nesta área.

Ele só quer confundir
Autor da CPI para investigar Carlinhos Cachoeira, Protógenes Queiroz (PCdoB) diz que o bicheiro quer mesmo é “confundir a opinião pública”. Carlinhos disse ter tratado de assuntos “nada republicanos” com ele.

Verba indecorosa
Os pobres (de espírito público, claro) deputados estaduais piauienses, que ganhavam R$ 50 mil mensais de verba de gabinete, agora são campeões nacionais na safadeza: terão R$ 80 mil cada, contra R$ 23 mil dos paulistas e R$ 60 mil em Brasília. O MP recorreu à Justiça.

Estoque no fim
Ao comentar a candidatura de Fernando Haddad (PT) a prefeito de São Paulo, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP), foi cruel: “O Lula não pode querer eleger postes todo o tempo. O estoque acabou”.

Sem tempo a perder
Candidato do PMDB a prefeito de São Paulo, Gabriel Chalita mal encontrou a governadora potiguar Rosalba Ciarlini, em Brasília, e foi logo emendando: “Preciso de sua ajuda para obter o apoio do DEM”.

A brasileira da Volks
Pivô do maior escândalo sexual na cúpula da Volkswagen alemã, em 2005, a brasileira Adriana B., 47, será julgada em Berlim terça (27) por receber “mimos” de quase US$ 400 mil do ex-chefão da empresa, Klaus Volkert, em rede de prostituição. Ele foi condenado em 2008.

Tiririca sem chances
Terceiro mais votado em São Paulo, o deputado Paulo Maluf (PP) acredita que, apesar dos mais de um milhão de votos, Tiririca (PR) não tem chance na disputa a prefeito: “O povo só brinca com o Legislativo”.

Na pista do fogo
A perícia ainda não saiu, mas a Marinha já diz que dados preliminares indicam que o incêndio na base na Antártida começou nos geradores a diesel: o motogerador de etanol “não estava em operação”.

Até daqui a pouco
Virou piada em Brasília o rompimento do PR seguido da “disposição de negociar”. Agora, PR quer dizer “Pronto Retorno”.

PODER SEM PUDOR

Latindo por votos
Na campanha de Tancredo Neves ao governo de Minas, em 1982, o deputado Ronan Tito espalmava a mão e perguntava que número era aquele. O povão respondia “Cachorro!”, numa alusão ao jogo do bicho.
– Pois Tancredo será o cachorro que vai expulsar os ladrões do Palácio da Liberdade! – exclamava ele.
A estratégia de gosto duvidoso preocupava os amigos de Tancredo, que provocaram uma reunião sobre o assunto. O vice Hélio Garcia discordou:
– Se for para ganhar a eleição, tem até que latir…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation