Política Nacional 20/03/12

“A prioridade do Brasil é ganhar
o Mundial e não organizá-lo”.
Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa,
ironizando o atraso nos preparativos da Copa.

Código Florestal põe líder do PMDB em saia justa
Candidato a presidente da Câmara, o líder do PMDB Henrique  Eduardo Alves (RN) se colocou em uma saia justa em relação  ao projeto do novo Código Florestal, previsto para ser votado na próxima terça. De um lado, o líder peemedebista sofre pressão dos ruralistas para apoiar modificações no texto do Senado, mas também não quer contrariar a presidenta Dilma Rousseff, que se opõe radicalmente a mudanças.

Passado ruralista
Para se cacifar frente à oposição, de quem precisa dos votos para ser presidente, o líder peitou o governo e votou com os ruralistas em 2011.

Relação desgastada
Henrique Alves vai só aumentar o desgaste se votar contra Dilma, que já perdeu a confiança nele após ter sido desafiada por cargo no Dnocs.

Sem saída
Contrariar tanto Dilma quanto a bancada ruralista coloca em risco o projeto do peemedebista da assumir a presidência da Câmara.

Dupla personalidade
Henrique Alves enfrenta ainda dificuldades dentro da bancada do PMDB, que reclama de suposto jogo duplo do líder peemedebista.

Projeto prevê escola de tempo integral até 2022
Está pronta para ser votada uma proposta de emenda constitucional garantindo o ensino fundamental em período integral em todo o país. O autor, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), considera que esse tipo de escola é a melhor maneira de combater o analfabetismo, a miséria e a criminalidade. Uma emenda da Comissão de Constituição e Justiça fixa o ano de 2022 como o prazo para sua implantação total no país.

Estamos aí
A ordem no PT paulista é levar o prefeitável Fernando Haddad até a batizado de boneca. Já nem disfarça a campanha eleitoral antecipada.

Grana sobrando
O deputado Arthur Lira (AL), novo líder do PP, já reformou seu gabinete na Câmara, mas diz que pagou tudo do próprio bolso: R$ 50 mil.

Dinheiro voando
A Agência Nacional de Aviação Civil paga o preço do alto custo de vida no Rio: só de aluguel serão R$2,3 milhões por sua sede, este ano.

Sorte grande
A sorte do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), que deseja disputar o governo do Amazonas em 2014, é que a atual primeira-dama estadual, d. Nejma Aziz, não pode ser candidata. Ela lidera todas as pesquisas. Inclusive para a prefeitura de Manaus, que ele também ambiciona.

Fome de cargos
A tapioca está garantida: o ex-ministro Orlando Silva (Esporte) poderá escolher entre a Secretaria Extraordinária da Copa no governo Jaques Wagner (PT-BA) ou a candidatura a vereador em São Paulo.

Berge ou Gabas
Com a adesão do governador Agnelo Queiroz à facção Cons-truindo um Novo Brasil, majoritária no PT, o influente secretário de Governo do DF, Paulo Tadeu, da facção Democracia Socialista, deve cair. Para o lugar, Agnelo sonha com Carlos Eduardo Gabas ou Swedenberg Barbosa.

Boca aberta
Do deputado Hugo Leal (PSC) sobre a pressão do seu partido para fazê-lo ministro do governo Dilma: “Merecemos, estamos na base desde o primeiro governo do ex-presidente Lula”.

Hora da faxina
Admirador de Getúlio Vargas, Lula deve ter lembrado a Dilma a famosa frase atribuída ao ditador. “Ministérios se compõem de dois grupos: um formado por gente incapaz e outro por gente capaz de tudo”.

Punição ao turista
O aeroporto de Brasília recebe cada vez mais vôos internacionais, mas mantém estrutura de rodoviária. Quem desembarca do exterior na capital é submetido a longa espera, de até uma hora, com um ou dois funcionários da Polícia Federal carimbando lentamente os passaportes.

Longe daqui
No Planalto, a piada é que Luiz Sérgio, monumento à inutilidade, poderá assumir um novo posto no governo Dilma: o de comandante das obras de reconstrução de uma nova base militar. Na Antártida.

Teocracia fascista
Ministro de Relações Exteriores de um País de maioria cristã, Antônio Patriota pediu informações ao embaixador do Brasil no Irã, Antônio Salgado, sobre o caso de Youcef Nadarkhani, condenado à morte por ter se convertido ao Cristianismo.

Pensando bem…
…o novo ministro da Pesca terá que pescar com varinha de condão para enfrentar a maré de turbulência.

PODER SEM PUDOR

Táxi getulista

 O presidente Getúlio Vargas queria fincar o PTB em solo paulista e mandou sua sobrinha Ivete Vargas se candidatar a deputada federal por São Paulo. Eleita com o peso do sobrenome ilustre, ela pegou um avião e seguiu para a capital do Estado. Ao desembarcar, um jornalista logo a provocou:
– Como explica votação tão expressiva conhecendo São Paulo tão pouco?
– Deve haver algum engano de sua parte – respondeu ela, na bucha – Eu fui candidata a deputada federal e não a chofer de táxi.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation