Política Nacional 21/03/12

“Ninguém pode ser acusado de ser amigo de bandido”.
Protógenes Queiroz, para quem não é crime
Demóstenes Torres ser amigo de Carlos Cachoeira.

Caixa liberou apenas 4% das verbas para a Copa
O Tribunal de Contas da União, que monitora os investimentos públicos para a realização da Copa do Mundo, anda preocupado com as obras de mobilidade urbana (vias, metrô, veículo leve sobre trilhos etc), que na verdade serão o grande legado do evento para a população. O problema é que, até agora, a trinta meses da Copa, a Caixa Econômica Federal liberou apenas 4% dos R$ 11 bilhões reservados às obras.

Última hora
A preocupação do TCU é que os projetos fiquem para a última hora, tornando-os bem mais caros e qualitativamente menos confiáveis.

Desconfiança
No Congresso, a oposição desconfia que o atraso é proposital, para abrir espaço a contratos emergenciais, sem burocracia e alto custo.

Tem que ter projeto
A falta de projetos executivos, apresentados pelas cidades-sede, pode ser um dos motivos para a Caixa segurar a liberação do financiamento.

A força do Nordeste
O deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE) é candidatíssimo à presidência da Câmara, que já ocupou várias vezes. Suas chances são fortes.

Negociação
Apesar do anúncio formal de “rompimento”, o PR permanece no balcão negociando as pazes com o governo Dilma, mas exige como prêmio o Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior. O PR já avisou que seu candidato único ao cargo é o senador Blairo Maggi (PR-MT). Nessa hipótese, o ministro Fernando Pimentel, amigo e “curinga” de Dilma, seria deslocado para o Ministério das Comunicações.

PB articulando
Paulo Bernardo (Comunicações) poderá substituir a abominada figura de Ideli Salvatti, na condição de ministro-chefe da articulação política.

Emprego estável
Nos papos nada republicano com o PR, o governo avisou que a demissão do ministro Paulo Sergio Passos (Transporte) é inegociável.

Lançamento
Jorge Oliveira lança hoje às 19h, no Carpe Diem da 104 Sul, Brasília, o livro “Curral da Morte”, sobre o tiroteio na Assembleia de Alagoas.

Vai você primeiro
O PSB do governador Eduardo Campos só considera apoiar Fernando Haddad para prefeito após o PT oficializar a candidatura do ex-ministro em São Paulo. Coisa que o PT ainda não teve coragem de fazer.

Carochinha
De olho no julgamento do mensalão, o PT anunciou que quitou a dívida “lícita” com o Banco Rural. Mas esqueceu que na CPI dos Correios em 2005, o publicitário Duda Mendonça disse que recebeu através de conta da offshore “Dulsseldorf”.

Agora vai
O PT acha que o problema do governo do DF não é de gestão, mas de imagem. E contratou uma grande empresa para tentar convencer a imprensa a publicar fatos positivos sobre o governador Agnelo Queiroz.

O autor é outro
Os comerciais do Ministério da Justiça e a busca do consenso com as emissoras, sobre Classificação Indicativa, e até a parceria da Unesco, tudo foi idealizada pelo ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Jr.. Nem sequer o convidaram para o lançamento.

Socorro, ambulância
Apreensão no governo do Rio: envolvido no escândalo de ambulâncias superfaturadas da Toesa, o então subsecretário de Saúde, Romero Vianna, é contraparente do secretário Sérgio Côrtes.

De mulher para mulher
Acusada de grosserias, a presidenta Dilma fez uma gentileza ontem, no lançamento do Programa Nacional de Educação no Campo. Ao ser anunciada, a senadora Kátia Abreu (PSD/TO) ouviu alguma vaia de militantes do MST, no evento. Ao discursar, Dilma citou-a três vezes.

Show de horrores
Sobre o estrago no carro, Thor, filho do bilionário Eike Batista, diz no Twitter que a “a estrutura é de fibra de carbono, material muito resistente, a 80km/h ele seria dilacerado da mesma maneira”.

Volta às origens
Tentando fazer o PMDB apoiar a Lei da Copa, o ministro Aldo Rebelo (Esporte) lembrou que já foi filiado ao partido, quando seu PCdoB estava proscrito pela ditadura. Logo recebeu o convite para voltar.

Ouro engarrafado
Com a bebida liberada e um tatu como mascote da Copa, a cachaça Tatuzinho, produzida em São Paulo, antevê dinheiro caindo do céu.

PODER SEM PUDOR

Narizes poderosos
O catarinense Esperidião Amin presidia o PPR, em 1993, e certo dia puxou papo com o senador Pedro Simon, dizendo que até mudaria de partido só para ajudar a eleger o colega gaúcho presidente nacional do PMDB.
– Depois a gente elege José Richa presidente do PSDB – brincou Simon.
– Assim nós vamos formar a República Árabe Unida – respondeu Amin, referindo-se à ascendência dos três – E será uma república tridimensional. As decisões serão tomadas de acordo com as dimensões do nariz: o Richa ganha pela largura, tu ganhas pela abertura e eu, pelo tamanho!

Assuntos desta notícia

Join the Conversation