Política Nacional 22/03/12

“A realização da Copa é muito
importante para o país”.
José Sarney, prometendo priorizar no
Senado a votação da Lei Geral da Copa.

Estádio de Brasília custará mais que o Maracanã
O Estádio Nacional Mané Garrincha, a ser inaugurado em dezembro, terá custo superior à reforma (quase reconstrução) do Maracanã, considerado um dos maiores do mundo. A estimativa é do Tribunal de Contas da União. Inicialmente o estádio de Brasília custaria R$ 700 milhões, mas vai aos R$ 870 milhões, e, segundo o TCU, passará de R$ 1 bilhão com a iluminação e a cobertura em aço e lona tensionada.

Maraca mais barato
Após ajustes, incluindo a isenção de impostos do programa Recopa, o custo do Maracanã ficará em cerca de R$ 800 milhões.

Conta-surpresa
O TCU está preocupado com o crescimento dos custos do estádio Mané Garrincha. Ainda nem foi computado o gasto com sua cobertura.

Sem resposta
Responsável do governo do DF pelas obras da Copa, Cláudio Monteiro ignorou as tentativas de ouvir suas razões sobre o aumento de custos.

Casa de ferreiro
Nem sequer metade da bancada do PCdoB assinou o requerimento do deputado Protógenes Queiroz (SP) para instalar a CPI do Cachoeira.

Cargos unem o PDT
Na guerra para a indicação do ministro do Trabalho, a banda podre do PDT espalhou acusações contra nomes preferidos pela presidenta Dilma, mas vetados pela direção do partido. Teve até candidato a ministro acusado de ser “viciado em cocaína”. Mas os mesmos deputados que tentavam bombardear a indicação de Brizola Neto, por exemplo, agora torcem por sua nomeação, ávidos por cargos.

Nomeação iminente
Após finalmente receber apoio da bancada do PDT, a pedido de Dilma, Brizola Neto pode ser nomeado antes da viagem dela à Índia, domingo.

Depuração
Ex-militante do partido, brizolista histórica, Dilma sabe que nomeando Brizola Neto ajudará o PDT a se livrar da corja que hoje o controla.

Homens de preto
Os petistas estão indóceis no Ministério da Pesca com a perspectiva de “arrastão” de cargos: dois secretários nacionais já foram substituídos.

Troco foi para Dilma
Insatisfeitos com o autismo de Dilma, a base aliada na Câmara deu o troco, negando-se a votar ontem a Lei Geral da Copa, projeto prioritário para o governo. Não teve quorum: só havia 115 deputados presentes.

Líder dele mesmo
No vácuo da pressão dos ruralistas para a votação o Código Florestal, os  descontentes com o governo, incluindo petistas, aproveitaram para “desautorizar” o novo líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia.

Faltou descarrego
O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) fez cirurgia para tratar de uma “hiperplasia benigna da próstata”, segundo sua assessoria, e ele nem mesmo repousou. Agora está com sinusite e pegou uma virose.

Crédito na praça
Quitado o empréstimo “lícito” de R$ 8,3 milhões com o Banco Rural, o ex-deputado José Genoíno (PT-CE) e o ex-tesoureiro Delúbio Soares, teriam que suar a cueca se “contabilizada” a dívida também com o BMG: com juros e correção pelo IGP-DI, deveriam R$ 177,4 milhões.

Quem? Eu?
Após notícias de que o Ministério do Desenvolvimento poderá ser entregue ao PR, Delcídio Amaral (PT-MS) chamou Blairo Maggi (PR-MT) de “ministro”, no Senado. Maggi fingiu não saber: “De quê?”.

Conselho forte
Ex-secretário do Ministério do Transportes, José Augusto Valente agora integra o conselho consultivo da IG Fuel, que comercializa o Green Box, equipamento que reduz em até 30% o consumo de motores a diesel. O ex-ministro e empresário Ozires Silva preside o conselho.

Ouro de tolo
Eike Batista defendendo o filhor Thor: “Por se tratar da família Batista, você acha mesmo que não vai ser tudo apurado? Não conhece o seu país! O carro é meu! Ele só pediu emprestado, Santo cristo! (sic).

Mal na fita
Com sua gestão muito mal avaliada, o prefeito de Salvador, João Henrique, enfrenta dificuldades para convencer algum deputado federal a assumir secretaria na prefeitura. O prefeito tenta a todo custo abrir vaga para seu irmão na Câmara, o suplente Sérgio Barradas Carneiro.

Pensando bem…
…com a indefinição legal, a Copa será realizada em 12 estados de embriaguês.

PODER SEM PUDOR

Guia para hipocondríacos
Certa vez então senador Arthur Virgílio (PSDB) jantava no restaurante Alcaparra, no Rio, quando um cidadão, Dr. Tanus Tauk, foi à sua mesa para entregar um livreto de sua autoria, “Passaporte da Saúde”. É um guia útil para quem viaja ao exterior. Contém, em seis idiomas, os nomes dos principais remédios de que um via-jante pode necessitar e pode comprar sem receita. E explica como pedi-los nos seis idiomas. Arthur Virgílio pediu mais dois exemplares, autografados, para oferecer, um ao ex-presidente José Sarney, outro para o governador de São Paulo, José Serra.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation