Política nacional 26/03/2012

“Os problemas de narcotráfico e violência pesam sobre a igreja”.
Papa Bento XVI, sobre a repressão militar e o confronto entre os cartéis no México.

Câmara gastará R$ 310 milhões em prédio novo
Os deputados custarão ainda mais caro aos brasileiros: vão ganhar um novo prédio, na ampliação do Anexo IV da Câmara, estimado em R$ 310 milhões. O projeto prevê 40 mil metros quadrados só de garagem, com três subsolos, além de rampas de acesso e subsolo de serviço. A área reservada para os novos 87 gabinetes é de 9,5 mil metros quadrados, e abrigará gabinetes do Anexo III, que são os menores.

Financiamento
A Câmara informa que R$ 270 milhões da obra vêm da venda da folha de pagamento dos servidores; R$ 40 milhões, do nosso bolso mesmo.

Ano novo, prédio novo
A primeira parte do plano de ampliação do Anexo IV, que terá 1.300 vagas de garagem, deverá ser construída a partir do próximo ano.

Outras mordomias
O novo edifício terá dois restaurantes, lanchonetes e serviços como bancos, agência de correio e até companhias aéreas.

Pela boca
O ministro Marcelo Crivella (Pesca) quer aumentar o consumo de peixe nas escolas. Pelo preço do pescado, a garotada vai comer sardinha.

A caminho da gaveta
Se depender do Planalto, vai ficar na gaveta do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a ação do Ministério Público Federal contra o delegado-deputado Protógenes Queiroz (PCdoB). Os procuradores pedem sua condenação pelos crimes de vazamentos de informações para a Globo e fraude proces-sual, na operação Satiagraha. Em crise, o governo não quer abrir outra frente de desgaste com o PCdoB.

Farra em vista
Ruralistas querem aprovar emenda prevendo que só o Congresso pode definir áreas indígenas ou quilombolas. O governo se opõe à farra.

Tira o tubo
A Presidência da República reservou R$ 42,4 mil mais remédios, a maioria para dores fortes de coluna, além de doses de adrenalina.

Loja de louças
O ex-deputado Carlos Abicalil, que passou raspando no escândalo do dossiê anti-Serra, agora é assessor do senador José Pimentel (PT-CE).

O pequeno pode mais
Ministro amigo de Dilma não se importa que ela grite com assessores. O maior medo dele é que um servidor humilde (manicure, garçom etc) grave no celular uma das broncas humilhantes que levam da presidenta. “Seria devastador, acabaria com a imagem dela”, aposta.

União na dieta
O casal de ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) perdeu, juntos, quase quinze quilos. Caminham lado a lado todos os dias, e fecharam a boca para afinar a silhueta.

Cerca Lourenço
Dilma não tem jeito para muitas coisas, e uma dessas é encaminhar uma conversa com um ministro para lhe dizer que precisa de seu cargo para novas composições. Pode ter acontecido de novo.

Pra inglês ver
Para o senador tucano Aécio Neves (MG), a CPI da Saúde é “o primeiro grande teste para o PR provar se realmente está na oposição, ou o anúncio foi só pra inglês ver e ganhar novo cargo no governo”.

Birita em foco
O líder do PSDB, Bruno Araújo (PE), critica a forma com que é feita a discussão sobre liberar a venda de bebidas alcoólicas na Copa de 2014: “Estão condicionando o Mundial a algo pequeno como a birita”.

Raposa & galinhas
Gestor na concordata da estatal de energia, Mauro Santos vai negociar a dívida bilionária da Celpa no Estado do Pará. Ele foi advogado de campanha de Simão Jatene (PSDB), que privatizou a Celpa em 1998. “É a raposa no galinheiro”, alerta o deputado Cláudio Puty (PT-PA).

Candelabro italiano
O Ministério Público Federal abriu inquérito para apurar suposta nomeação irregular para adido policial na Itália do ex-superintendente da PF no Rio, Angelo Gioia, que estaria respondendo a inquérito criminal.

Tudo em casa
A Justiça condenou o prefeito de Jitaúna (BA), Edísio Alves (PMDB), a devolver R$ 500 mil e juros por contratar laboratório sediado de graça em imóvel dele e administrada por sua ex-doméstica. Cabe recurso.

Pensando bem…
…só resta parafrasear Chico Anysio, perguntando: “É mentira, Terta?”.

PODER SEM PUDOR

É duro ser secretário…

O atual ministro José Múcio, do Tribunal de Contas da União, é paciente e bem humorado. Provou isso quando foi secretário do governador de Pernambuco, Roberto Magalhães. Certa vez, no Programa Geraldo Freire, da rádio Jornal, Magalhães pediu seu testemunho para uma afirmação:
– Meu governo já fez mais de 12 mil quilômetros em eletrificação rural!
José Múcio não deixaria o governador mentindo sozinho:
– É verdade, foram mais de 12 mil quilômetros…
– É mentira! – exclamou Magalhães, desistindo da lorota – Não posso mentir ao povo. Na verdade, foram só 8 mil!

Assuntos desta notícia

Join the Conversation