Política Nacional 30/03/12

“Cargos são passageiros. A honra não é, a dignidade não é”.
Deputado Rose de Freitas (PMDB-ES) em
resposta ao deputado Arlindo Chinaglia (PT).

Licitação suspeita leva ex-diretor à sede da ANTT
Barrado pelo Senado para permanecer na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), o ex-diretor Bernardo Figueiredo trabalha para convalidar a concessão de um trecho da BR-101, apesar das suspeitas de irregularidades na proposta vencedora, como a falta do Plano de Negócios, exigido no edital. Sem ele, abre-se caminho para burlar o critério do menor preço e não haveria como averiguar se a ganhadora de fato investiria em obras, segurança, etc, conforme o contrato.

Quase nada
Um detalhe intrigante na licitação da ANTT: é infinitesimal a diferença do preço entre a vencedora e a segunda colocada: R$ 0,00221.

Visita imprevista
Sempre preocupado e muito ativo, Bernardo Figueiredo esteve ontem visitando a sede da ANTT, segundo funcioná-rios da agência. Humm…

Prazo final
Vence nesta sexta o prazo para a procuradoria da ANTT se pronunciar sobre a eventual impugnação da licitação. A diretoria definirá no dia 12.

Sua Sumidade
A piada do momento é que Lula ficou curado porque Deus em pessoa visitou-o na terça (27) no hospital. E até posaram juntos para fotos.

R$ 55 mil por maus-tratos
A Justiça do Trabalho condenou a embaixadora do Panamá no Brasil, Gabriela Garcia Carranza, a indenizar em R$ 55 mil a ex-funcionária Deudete dos Santos por danos morais, multas trabalhistas e litigância de má-fé. Gabriela, conforme denunciou a Coluna em maio de 2011, é acusada de tratar funcioná-rios de forma “desumana”, sobretudo os humildes. O Itamaraty prometeu pedir sua substituição, se condenada.

Que vergonha
O Ministério das Relações Exteriores criou uma entrada de serviço para que “punhos de renda” não se misturem a “serviçais” e estagiários.

Pobres sob suspeita
O Ministério das Relações Exteriores ainda informou que a criação de entrada de serviço, ilegal e discriminadora, é “medida de segurança”.

Bicos calados
A associação (Asmre) e o sindicato nacional dos servidores (Sinditamaraty) calaram sobre a humilhação imposta aos associados.

Guerra de egos
Cresceram os conflitos entre a ministra Gleise Hoffman e seu auxiliar Beto Vasconcelos, queridinho da presidenta Dilma. A guerra só acaba se Beto substituir Luiz Adams na Advocacia Geral da União. Mas o chefe da AGU terá de virar ministro do Supremo Tribunal Federal.

Dança das cadeiras
A ministra Elizabeth Rocha, do Superior Tribunal Militar, e Flavia Piovesan, ligada ao ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), estão no páreo para o Supremo Tribunal Federal. Duas vagas serão abertas.

Barbas de molho
As denúncias contra o governo de Ricardo Coutinho (PSB), na Paraíba, preocupam o partido e seu presidente, governador Eduardo Campos (PE), que não querem a sigla vinculada a casos de corrupção.

Conspiração
Cerca de 40 deputados da facção Construindo um Novo Brasil se reuniram na casa de André Vargas (PT-PR), terça à noite. Arderam as orelhas dos líderes trapalhões Arlindo Chinaglia e Jilmar Tatto.

A voz da sabedoria
Para Ruy Barbosa, patrono dos advogados, “a anistia, que é o olvido, a extinção, o cancelamento do passado criminal, não se retrata. Concedida, é irretirável, como é irrenunciável, definitiva, perpétua”.

Prato servido frio
Esperava-se que o ministro relator do processo contra Demóstenes Torres (DEM-GO) no STF abrisse mão da tarefa. Após a criação do PSD, o senador atacou: “Enquanto Lewandowski dançava na boquinha da garrafa, o Marco Aurélio se esforçava para segurar o tchan”.

Luta pela vida
Ameaçada de expulsão, a brasileira Miriam, 19, tetraplégica e epiléptica, ganhou mais dois meses em Loiret, na França. A família saiu do Brasil em 2007, em busca de tratamento mais barato e eficaz.

Tiririca e a birita
Em uma roda de deputados, o palhaço Tiririca (PR) revelou ter votado contra a venda de bebidas na Copa de 2014: “Se for mesmo proibido, vou comemorar bebendo em frente a um estádio”. 

Pensando bem…
…dize-me com quem andas e te direi que bicho vai dar.

PODER SEM PUDOR

Senador não é lastro
O senador Marco Maciel sobrevoava o interior do Rio Grande do Sul, em meados de 1989, quando o pequeno avião Piper começou a ser sacudido por fortes rajadas de vento. Preocupado, o piloto fez um pouso em Júlio de Castilhos, longe do destino – o município de Cruz Alta. Maciel se fez de mouco, mas contou depois a amigos, achando muita graça, que ouviu o piloto olhar para seu porte de fiapo e murmurar:
– Faltou lastro…

Assuntos desta notícia

Join the Conversation