O exemplo de Romário

Como se previa, foi acirrada e continuará sendo por alguns dias a exploração política em cima desse jogo de futebol promovido por alguns políticos, realizado na Capital, na última quarta-feira. Faz parte. Contudo, é preciso ponderação nessas horas para não se perder de vista o que está mesmo em jogo em última instância: a assistência aos desabrigados e a recuperação das cidades atingidas pela grande alagação do Rio Acre.

Como havia anunciado, o governo se absteve de participar do evento e até mesmo de se responsabilizar pela entrega dos donativos que reverteriam da bilheteria do jogo.

Pode-se até criticar os motivos, mas dos políticos que participaram do evento nenhum tem o direito de colocar em questão o empenho e o trabalho duro, árduo que o governo e prefeitura realizaram e continuam realizando na assistência aos desabrigados. É fácil falar do que não se conhece e criticar bafejado pelas facilidades do cargo que exercem, bancadas pelo dinheiro público.

Aliás, neste aspecto, uma das “estrelas” do evento, o jogador e agora deputado federal, Ro-mário, foi o mais sensato e ponderado. Como ele mesmo recomenda, ficar calado nessas situações é sinal de sabedoria.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation