Acreanos que estudam medicina na Bolívia são multados em R$ 300 mil

Por causa de um erro das universidades bolivianas, onde vários acreanos e rondonienses estudam medicina, o governo boliviano causou sanção contra os estudantes brasileiros que estudam em universidades de Cochabama com uma multa no valor de 1,4 milhão de bolivianos, o equivalente a R$ 360 mil, além disso, os estudantes brasileiros estão sendo ameaçados de ter as inscrições cancelas em três faculdades.

 De acordo com informações, o mal entendido foi provocado pelas universidades bolivianas que não expediram o “visto estudantil” e nem alertou os estudantes quanto a necessidade do documento.
Segundo o estudante Vanderson Araújo, que está no décimo semestre na UPAL, a multa partiu da Imigração boliviana, que passou a exigir o visto estudantil e todos os estudantes têm somente até esta quinta-feira, 23 para quitar a multa ou assinar um docuemnto se comprometendo em pagar a dívida do visto estudantil, caso contrário as matrículas serão cancelas.

 De acordo com informações do estudante, ele mora em Cochabamba a mais de cinco anos e sempre que fazia a matrícula, a faculdade expedia um documento chamado reserva de matrícula, esse documento evitava que o estudante tivesse problemas com a imigração.

 Mas, no retorno das férias, os estudantes foram surpreendidos com a nova determinação que exigia pagamento de multa.

“Quando fomos fazer à matrícula as universidades exigiram de todos os estudantes estrangeiros se inscrevessem no tal visto estudantil, e quando todos já haviam feito as inscrições fomos informados da multa e o curto prazo para pagamento. Estamos perdidos e apelamoos para os parlamentares do Acre e Rondônia se unirem e buscarem uma solução junta a presidente Dilma Roussef. Aqui não tem lei, e eles fazem o que querem com os estudantes brasileiros.”, afirmou.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation