Banco de Alimentos quase pronto para ser inaugurado na Ceasa

Unidade irá processar alimentos e atender até 30 instituições beneficentes em Rio Branco
 
 O prefeito Raimundo Angelim visitou nesta sexta-feira, 16, as instalações  do Banco de Alimentos de Rio Branco, que irá funcionar em parceria com o programa Cozinha Brasil, do Serviço Social do Comércio (Sesc). Na fase atual da obra estão sendo instalados os equipamentos internos. A previsão é que em maio a unidade esteja em operação, atendendo entre 20 e 30 instituições. “Este é o sétimo Banco de Alimentos construído no Brasil, e pelo seu tamanho, Rio Branco está sendo privilegiado”, disse o prefeito. O secretário de Floresta e Agricultura, Jorge Fadel, acompanhou o prefeito.
Localizado no pátio da Central de Abastecimento (Ceasa), na Estrada da Sobral, o Banco de Alimentos atuará no recebimento de doações de alimentos considerados impróprios para a comercialização, mas adequados ao consumo.  A obra de 268 metros quadrados será inaugurada em maio próximo e custa R$348.452,83 em recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e do Tesouro Municipal.

Os alimentos doados passam por várias etapas de seleção, triagem, limpeza e identificação até serem  repassados a instituições da sociedade civil sem fins lucrativos que produzem e distribuem refeições gratuitamente a pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar e social.  Angelim avaliou como positivo o andamento das obras e vê importante alcance social no empreendimento.

Nos Bancos de Alimentos, os gêneros alimentícios são recepcionados, selecionados, processados ou não, embalados e distribuídos gratuitamente às entidades assistenciais. Estas se encarregam de distribuir os alimentos arrecadados à população, seja através do fornecimento de refeições prontas ou o repasse direto às famílias vulneráveis. Em contrapartida, as entidades atendidas pelos Bancos de Alimentos participam de atividades de capacitação e educação alimentar.

 De acordo com Sergio Braña, diretor da Ceasa, sobram diariamente 30%  de alimentos naquela central. Hoje, já é feita a doação para as entidades assistenciais e o Banco de Alimentos deverá potencializar esse trabalho. “Com essa unidade temos condições de atender entre 20 e 30 instituições”, disse  o secretário Fadel.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation