Embrapa Acre leva experiência com consórcio de pastagens para evento nacional

Entre os dias 14 a 16 de março de 2012, nos campos experimentais da Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande-MS, ocorre a 7ª edição da Dinâmica Agropecuária – Dinapec. A Embrapa Acre (Rio Branco, AC) leva ao evento uma estação sobre consórcio de pastagens com gramíneas e leguminosas, onde mostrará a experiência com recuperação de áreas degradadas na Amazônia.

No local, o público poderá conhecer uma área com amendoim forrageiro (cultivar Belmonte) e grama estrela-roxa, alternativas recomendadas pela Embrapa Acre para recuperar pastagens. Dentre as vantagens dessas tecnologias está a diminuição da pressão por abertura de novas áreas para pastagens. “Esse sistema, bastante utilizado pelos produtores rurais acreanos, é uma forma de mitigar os efeitos da degradação do solo e de aumentar a capacidade de suporte das pastagens e a produtividade da pecuária”, afirma Alexandre Monteiro, analista da Embrapa Acre que irá coordenar às visitas a estação.

A degradação de pastagens está entre os principais problemas enfrentados pela pecuária nos estados amazônicos. Dos mais de 40 milhões de hectares de pastagens cultivadas na Amazônia, metade está degradada ou em processo de degradação. Na busca por espécies forrageiras capazes de garantir a longevidade das pastagens e a qualidade alimentar do rebanho na região, a Embrapa Acre recomendou a grama-estrela-roxa, que apresenta boa agressividade, cobertura do solo e persistência, especialmente quando consorciada com o amendoim forrageiro.  “Os níveis de desempenho e produtividade animal, alcançados em propriedades que utilizaram esta tecnologia na formação de pastagens, são excepcionais”, afirma o pesquisador da Embrapa Acre Carlos Maurício de Andrade.

O amendoim forrageiro apresenta cerca de 22% de proteína, teor três vezes superior ao normalmente encontrado em capins. Estudos da Embrapa Acre, em parceria com a Associação para o Fomento à Pesquisa de Melhoramento de Forragens Tropicais (Unipasto) revelam que o nitrogênio absorvido pela leguminosa é convertido em adubo para as plantas, que se desenvolvem com facilidade. Isto aumenta o potencial produtivo do rebanho e reduz a necessidade de adubação química nitrogenada.

Outras 14 unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculadas ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento apresentam tecnologias voltadas para pastagens nos 30 hectares da Dinapec, atuando em minicursos, roteiros tecnológicos e palestras. (Assessoria Embrapa/AC)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation