Gol anuncia volta dos 2 voos da rota Rio Branco/Brasília

Voos GolOs acreanos que não perdem a chance de viajar terão um motivo a mais para comemorar na próxima temporada de férias. Após uma reunião com a Associação Comercial do Acre (Acisa) e com os empresários das agências locais de Viagem e Turismo, na tarde da última quinta-feira (29), a empresa aérea anunciou o retorno dos dois voos da Gol que faziam a rota de Rio Branco/Brasília e vice-versa, a partir de 1º de junho. 

Os dois voos haviam sido cancelados em fevereiro deste ano, em virtude das más condições da pista do aeroporto da cidade (que geravam uma série de problemas operacionais para a Gol).

De acordo com o presidente da Acisa, Jurilande Aragão, a volta dos voos vai vir com algumas mudanças em relação a sua operacionalidade de antes. A principal delas é no horário. Segundo ele, o voo que vem de Brasília para cá sairá de lá às 23h45 e chegará aqui às 1h10. Já o voo do trajeto inverso, que sai de Rio Branco para Brasília, sairá daqui às 2h55 e chegará à capital federal às 7h09. 

A segunda mudança nos voos é em relação aos dias na semana. Conforme Jurilande Aragão, a capacidade de ambos os voos não estava sendo atingida devido a restrições na pista. Por exemplo, a Gol poderia operar com 187 passageiros, mas em função da pista a empresa só pode destinar para cá um voo com capacidade para 147 passageiros, sendo obrigado a pousar com apenas 103 e a levantar voo com apenas 111 passageiros. Devido às restrições, a Gol só vai operar com a rota Rio Branco/Brasília 5 vezes por semana, não realizando tais voos nem nas terças e nem nas quintas-feiras.   

A volta dos voos da Gol devolvem aos acreanos mais opções na hora de viajar para o Centro-Oeste, Sul e Sudeste do país, além de ofertar preços mais em conta no valor das passagens aéreas. 

Problemas na pista e reforma da 2ª cabeceira – Desde ‘pátio de buracos’ até ‘tobogã’, a pista do Aeroporto de Rio Branco vem sendo motivo de uma série de transtornos para a população desde 2009, quando começaram as reformas nela. Mas até hoje tais reformas não estão nem perto de uma conclusão. Milhões já foram gastos e apenas uma cabeceira foi reestruturada. E é por isso que a pista foi outra pauta central na reunião da Associação Comercial.
Segundo Jurilande Aragão, as obras na segunda cabeceira vão começar em abril. Mas para fazer este serviço de forma ágil e eficiente, o empresário defende que vai ser preciso uma mega operação. Caso contrário, serão mais 2 anos e meio reformando a mesma cabeceira.

Pátio central e o risco da interdição do aeroporto – Apesar de exigir muito esforço e atenção, a 2ª cabeceira não é a maior preocupação quanto à reforma na pista. O grande ‘X’ da questão, segundo o presidente da Acisa, é o pátio ou vão central dela. Segundo ele, os empresários vão se reunir com a Infraero, com a Anac e com as companhias aéreas que atuam aqui (Gol, Trip e TAM), em Brasília/DF, para tratar da execução das obras no pátio central.
Jurilande Aragão acredita que este vão do meio na pista vai exigir muito esforço do Exército/ Infraero. Portanto, será preciso realizar este serviço de forma integral. Inclusive, adotando medidas mais drásticas (por exemplo, a interdição total do aeroporto por alguns dias), se for necessário, para concluir de vez as reformas. “Ou se trabalha intensivamente, com a suspensão total de voos durante alguns dias para aprontar o serviço definitivamente. Ou se trabalha 24h por dia, num esquema de turnos de trabalho”, concluiu Jurilande.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation