Fiscal da vigilância sanitária é preso por crime de concussão

A prisão em flagrante do fiscal da Vigilância Sanitária Municipal, Carlos Afonso Lima da Silva, 43 anos, aconteceu na tarde de ontem, dia 20, no bairro Alto Alegre.
Ele foi preso por investigadores da Delegacia Antiassalto da Polícia Civil (Dapc), da Divisão de Investigação Criminal (DIC).
Fiscal da vigilância sanitária 3
De acordo com informações a cerca de um mês o fiscal sanitário teria realizado uma inspeção em uma indústria de carne do tipo charque instalada no Ramal do Mutum.

Na oportunidade Carlos Afonso teria exigido o pagamento de R$ 1,5 mil para liberação do Alvará de inspeção sanitária que faz parte da documentação necessária para o funcionamento da fábrica.

O comerciante teria entregado R$ 300 alegando que era todo o dinheiro que dispunha naquele momento e teria solicitado que o fiscal retornasse em outra data para receber o restante do dinheiro.

O comerciante comunicou o crime a Polícia Civil que na tarde de ontem, dia marcado para o recebimento do restante do dinheiro, um investigador usando uniforme da empresa de charque testemunhou o momento em que o fiscal procurou o empresário para receber o restante do dinheiro.

Ao receber mais R$ 300, como parte do pagamento o fiscal Carlos Afonso foi surpreendido pelo investigador que deu voz de prisão por crime de concussão.

O fiscal foi preso e conduzido a Delegacia Antissalto onde foi indiciado por crime de Concussão em seguida encaminhado ao presídio estadual.

Crime de Concussão: Art. 316 do Código Penal – Exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função, ou antes, de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida:

Pena – reclusão, de 2 (dois) a 8 (oito) anos, e multa.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation