Dilma diz que o século 21 é o século das mulheres

A presidente Dilma Rousseff disse hoje (13) no Senado, ao receber o prêmio Bertha Lutz em homenagem ao Dia da Mulher , que o século 21 é o século das mulheres.

“Nós devemos representar não apenas e simplesmente só as lutas das mulheres por conquista de igualdade de oportunidades, mas também celebrar as conquistas que já fizemos”.

Ela afirmou que a igualdade de oportunidade é uma das principais metas do seu governo.  “Todos os tipos de igualdades devem ser obsessão desse País. Só seremos de fato uma nação desenvolvida se de fato isso ocorrer”.

Dilma estava descontraída e brincou com um “conselho” da deputada Benedita da Silva (PT-RJ) e arrancou risos da plateia. “Ela [Benedita] disse que o Temer [vice-presidente Michel Temer] deve cuidar de mim , mas eu também vou cuidar do Temer”.
Dilma agradeceu às ministras de sua equipe que estavam na cerimônia, mas lembrou o papel importante dos homens de sua equipe.  “Acho importante destacar que do lado de mulheres tão fortes, eu cumprimento os ministros porque nós somos um governo que tem uma equipe conjunta e coesa. Os ministros homens do governo defendem igualdade de gênero e igualdade racial”.

A presidente afirmou ainda que o Brasil que queremos é o da “igualdade de oportunidades”.

Pouco antes, em seu discurso, o presidente da Câmara, Marco Maia, enumerou as conquistas femininas e disse que, com a eleição de Dilma, o Brasil provou que confia na capacidade da mulher brasileira. O presidente do Senado, José Sarney, fez muitos elogios à presidente e disse que, apesar dos momentos difíceis quando jovem [Dilma era militante de esquerda e foi presa durante a ditadura], ela não se tornou amarga, mas se transformou “numa criatura maravilhosa”.

Pétalas de rosas foram jogadas no plenário do Senado durante os discursos. A senadora Marta Suplicy (PT-SP) também falou das conquistas da mulher e disse que agora “as meninas não vão mais brincar só de boneca, mas vão brincar de presidente”.

Além de Dilma, receberam o prêmio a militante comunista Maria do Carmo Ribeiro, viúva do histórico líder Luiz Carlos Prestes; a ex-senadora Eunice Mafalda Michiles, primeira mulher a ocupar uma vaga no Senado; a socióloga Rosali Scalabrin, representante da Comissão Pastoral da Terra e titular da Coordenadoria da Mulher do município de Rio Branco, no Acre; e a professora Ana Alice Alcântara da Costa, do Departamento de Ciências Políticas e do programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres na Universidade Federal da Bahia. (R7)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation