Vereadores que apoiam buscam alternativa para aprovar empréstimo

Apoio AngelimVereador Juracy Nogueira não pode assinar o documentoDepois da derrota para a oposição na última quinta, 22, quando o projeto do Executivo pedindo autorização para empréstimo junto à Caixa Econômica Federal não conseguiu os votos necessários para aprovação, vereadores da base de apoio ao prefeito Raimundo Angelim vão tentar uma nova estratégia para aprovar a matéria.

Os parlamentares tentam conseguir assinatura de oito vereadores para que o projeto seja colocado novamente em votação. O problema é que a base de apoio ao prefeito Raimundo Angelim tem apenas sete votos e a oposição seis. O presidente da Casa, vereador Juracy Nogueira (PP) não pode assinar.

Essa é a 2 vez, em menos de seis meses, que o prefeito encontra dificuldade para aprovação de projetos. Em dezembro de 2011, a base teve que contar com o voto do vereador Luiz Anute (PPS) para aprovar o Orçamento.
Agora, eles vão tentar convencer o vereador Rodrigo Pinto (PMDB) a assinar o documento. Considerado o líder da oposição, Pinto será colocado à prova. Ele mantém um bom relacionamento com o presidente Juracy Nogueira, escolhido para fazer o pedido.

Há quem aposte que o vereador Manoel Cabide (PTC) ou até mesmo o próprio Luiz Anute (PPS) podem assinar o documento e votar favorável ao projeto. Os vereadores da oposição negam, mas parlamentares da base de apoio ao prefeito, afirmam que eles estão seguindo determinação de dirigentes do PSDB.

Os problemas do prefeito Rai-mundo Angelim iniciaram depois da decisão do Partido Progressista (PP) de sair da Frente Popular (FPA) e da saída do vereador Manoel Cabide (PTC) da base de apoio.
A oposição, que antes tinha apenas 4 votos, agora tem 6. Com isso, projetos que precisam de aprovação da maioria dos vereadores, no caso, oito votos, são rejeitados. Sem um articulador na Casa, o prefeito Raimundo Angelim ainda deve encontrar muitas dificuldades durante o ano.

Caso na consiga aprovar o projeto, Raimundo Angelim já anunciou que fará cortes em várias secretarias para conseguir os R$ 3 milhões necessá-rios para a contrapartida nos projetos do Governo Federal que garantem a execução de obras em vários bairros da Capital.

A sessão da próxima terça, 27, promete ser quente. A oposição garante que está unida e não volta atrás de sua decisão. Já a base do prefeito Angelim fará críticas aos colegas, lembrando que os mais prejudicados são os moradores da Capital.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation