Política local 18/04/2012

“Se o tolo persistir em sua tolice torna-se-á sábio”.

(Sigmund Freud, psicanalista)

Seguro no pincel
O ex-prefeito de Tarauacá, Wando Torquato (PP), perdeu o controle político de seu grupo, que começa se bandear para apoiar a prefeita Marilete Vitorino (PSD). Foi o caso do vereador Lulu (PP). Fora do poder, os amigos se afastam. A tendência de Wando é ficar só segurando no pincel.

Pressão forte
Há uma pressão forte dos demais dirigentes da oposição para que o PP entre na aliança de apoio a reeleição de Marilete e não será surpresa se o Wando Torquato sofrer este golpe.

Sem nome
E se colocar na balança, fora o Wando, seu grupo não tem outro nome da sua envergadura.

Fruta passada
O nome do ex-deputado Chico Sombra (PP) foi lembrado, mas esquecido, por ser considerado como fruta passada na política, sem chance de ganhar a prefeitura de Tarauacá.

Pressão forte
O deputado Hélder Paiva (PR) não se pronunciou, mas há uma pressão forte da comunidade evangélica e fora dela para que reveja a sua posição de deixar a política e disputar a reeleição.

Entre as raridades
Hélder Paiva é um espécie de raridade na política, com vários mandatos de vereador e deputado estadual e não se conhece dele um único desvio ético na sua conduta.

Pau seco
O empresário Motinha (PP) recebeu apoio dos ex-prefeitos Tavares (PMDB), Ribeiro (PSDB) e Luis Pereira (PSDB). Escorar em Tavares e Ribeiro, ex-prefeitos fracos, é escorar em pau seco.

Rebelião no Juruá
Às vezes me ancasqueto com o prefeito de Cruzeiro do Sul, Wagner Sales (PMDB), com sua experiência, ele sabe que eleição majoritária não se ganha com arrogância mas com aliados.

Tratamento perigoso
Comete um erro primário ao fazer pouco caso dos demais partidos de oposição.

Mas é mais forte
Seu adversário, o prolixo deputado federal Henrique Afonso (PV) não é essa coca-cola toda de votos em Cruzeiro do Sul, mas, também, não é nenhum guaraná Nauense e pode complicar.

Custo e benefício
A deputada Toinha Vieira (PSDB) foi sábia em recuar na sua candidatura a prefeita de Sena Madureira. Se vencesse perderia um mandato tranquilo e ganharia uma prefeitura arrombada.

Tranqueira financeira
A prefeitura de Sena Madureira é hoje uma tranqueira atolada até o pescoço em dívidas.

Com um agravante
Quando foi prefeita, Toinha tinha o então governador Orleir Cameli com os cofres abertos para sua gestão e se ganhar agora terá no governo um adversário, o governador Tião Viana.

Com ironia
A candidatura do jornalista J.Guimarães (PT) a prefeito de Sena Madureira foi recebida com ironias no grupo do prefeito Nílson Areal: “não ganha para prefeito do Segundo Distrito”.

Mais forte
A candidatura do Dr. Betinho (PSDB) a prefeito de Assis Brasil ganhou mais corpo com o apoio do ex-prefeito Zum que, mesmo fora do poder, continua com bom prestígio eleitoral.

Fora de época
Não conheço um governador do Acre que, por um motivo ou outro, não fez viagens ao exterior, daí não saber o motivo de tanta celeuma pela ida de Tião Viana a Milão.

Opinião unânime
Ontem, em uma roda de deputados, a opinião sobre o prefeito Angelim foi unânime: “faz uma boa administração, realizou muito, é sério, mas não captou politicamente suas obras”.

Made in France
Franesi Ribeiro (PP), que quando era deputado ficou mais famoso pela sua coleção de perfumes franceses que pela atuação, quer ser candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul.

Já era
Franesi tem que ter a cons-ciência que se ciclo na política se encerrou com várias derrotas.

Perdendo os cabelos
A prefeita de Brasiléia, Leila Galvão, até hoje lamenta com amigos, o PT ter escolhido José Alvanir a prefeito de Brasiléia, por saber ser o mesmo que carregar trator  D-8 nas costas.

Cuspindo fogo
O vereador Charqueiro (PMDB) está em ponto de briga com dirigentes do PSDB de Plácido de Castro, que estão incentivando seu irmão gêmeo, o Charque (PSDB), ser candidato a vereador.

Luta respeitável
Charqueiro é daqueles políticos que se tem de respeitar pela sua coragem na política.

Acaba o resto
O deputado Chagas Romão (PMDB) faz uma análise lúcida da situação do seu partido: “se não tivermos candidato a prefeito da Capital, o restinho do PMDB se acaba”.

Galo choco
O prefeito de Plácido de Castro, Paulinho Almeida (PT), apanhou mais no seu mandato do que galo choco das “Panteras” – vereadoras Jamislene (PMDB), Laurita (PSD) e Socorro (PSD).

HARMONIA TOTAL
O presidente da Aleac, deputado Élson Santiago (PP), após um início de mandato tumultuado, restabeleceu a harmonia e hoje faz uma gestão compartilhada e calma. Conseguiu ainda o que é difícil na Aleac, com várias correntes de pensamento, não ter adversários no colegiado.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation