Política nacional 05/04/2012

“Garanto que não vazaram da Polícia Federal”.

Ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), sobre informações da Operação Monte Carlo.

Marta deve virar embaixadora em Washington
A presidenta Dilma decidiu mesmo mandar às favas a mais ex-pressiva conquista dos diplomatas brasileiros, implantada no governo Lula, de reservar para a carreira o cargo de embaixador. No caso, embaixadora. Como compensação por ter sido preterida pelo ex-ministro Fernando Haddad na candidatura à prefeitura de São Paulo, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) deve ser nomeada embaixadora em Washington.

Inspeção
Entusiasmada com a boquinha, Marta já passa a semana na capital americana, visitando os próximos domínios (chancelaria e residência).

Marta a tiracolo
Dilma poderá comunicar informalmente a Obama e a Hillary Clinton, na visita dos dias 9 e 10, a escolha de Marta como futura embaixadora.

Elas se entenderão
Como Hillary, Marta é senadora, uma por Nova York e a outra por São Paulo, os mais importantes estados dos respectivos países.

Regra quebrada
Dilma quebrou a regra na diplomacia ao nomear o físico Laércio Vinhas para nossa missão junto à Agência Internacional de Energia Atômica.

BRB recusou proposta que impediria o prejuízo
A atual direção do Banco de Brasília acusa a diretoria do biênio 2008-2010 de um prejuízo de R$ 130 milhões, por isso deixou de pagar aos empregados a participação nos lucros em 2011. Mas em carta ao BRB, em poder do Banco Central, o vendedor dos títulos, Antonio Carneiro, o “Bode”, propôs desfazer a operação e devolver o valor corrigido pela TR, após a Caixa atestar a licitude dos títulos. O BRB rejeitou a oferta.

Recusa
Analistas consideraram curiosa a recusa do BRB alegando que bancos fazem qualquer negócio para reaver dívidas corrigidas pela TR.

Sem lucro
Se operação fosse desfeita com o recebimento da TR, somando outros ganhos embutidos, o BRB ainda teria um lucro de R$ 31 milhões.

Impostos descontados
Optando pelo prejuízo em lugar do recebimento da dívida, o BRB pôde abater integralmente os R$ 130 milhões dos tributos devidos.

Jérome Valcke vai cair
A Fifa pode anunciar o cancelamento da visita do secretário-geral Jérome Valcke. A decisão do Congresso de cancelar convite para que ele participasse de debates foi decisiva para retirá-lo do jogo. Ele pode ser substituído por Franz Bechenbauer, como esta coluna já antecipou.

Insinuação de influência
Chegaram à Casa Civil informações inquietantes de funcionários da Agência Nacional de Aviação Civil sobre a atuação de um ex-servidor da subchefia de Assuntos Jurídicos, Sérgio Renault, tentando melar a licitação já concluída para gestão do aeroporto de Viracopos (SP).

Ó, coitado!
Acusado de agredir uma oficial de chancelaria em 2006, – ele nega – o embaixador no Paquistão, Alfredo Leoni, pediu que o Itamaraty pague a passagem ao Brasil, para ir à audiência na Justiça, na terça (10).
 
Capacidades
Com a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, o bilionário Eike Batista está na lista dos cem mais influentes do mundo em 2012, da revista Time. Sua influência no BNDES, por exemplo, é indiscutível.

Contendo crise
Em conversa ontem com a presidenta Dilma Rousseff, o líder do governo, Arlindo Chinaglia, combinou almoço dela com os líderes da base aliada para a segunda quinzena de abril, no Palácio da Alvorada.  

O perigo dos ex
Escândalo que se preza tem ex-amante e ex-motorista. Não é diferente no caso Cachoeira e Demóstenes: um ex-assessor do PT de Goiás tem muito a contar sobre supostos telefonemas do ex-tesoureiro petista Delúbio Soares a um dos deputados que pediu “ajuda de campanha” ao bicheiro.

Recado ameaçador
Preso na operação Monte Carlo da Polícia Federal, o bicheiro Carlinhos Cachoeira mandou recado a alguns parlamentares de que avalia pedir delação premiada e abrir o verbo contra tudo e todos.

Páscoa antecipada
Enquanto para a maioria dos brasileiros o feriado da Semana Santa só começa na sexta, os políticos têm calendário diferenciado. Ontem, no Congresso, apenas meia dúzia de parlamentares bateu o ponto.

Sai de baixo
A piada no Planalto é que a pesquisa CNI/Ibope, de 77% de aprovação ao “jeito Dilma de ser”, não consultou os maltratados assessores dela.

PODER SEM PUDOR
Cafezinho impertinente
O jornalista Aparício To-relli, o “Barão de Itararé”, terror dos poderosos, foi preso em 1935 e levado à presença do juiz Castro Nunes.
– A que o sr. atribui a sua prisão, seu Aparício?
– Tenho pensado muito, excelência, e só posso atribuí-lo ao cafezinho.
– Como assim?
– Vou explicar. Eu estava no Café Belas Artes, tomando o meu oitavo cafezinho e pensando em minha mãe, que sempre me advertiu contra o excessivo consumo de café. Nesse momento, chegaram os policiais e me deram voz de prisão. Só pode ser um castigo pelo abuso do cafezinho…  

Assuntos desta notícia

Join the Conversation