Política nacional 10/05/2012

“Os EUA esperam ser um grande freguês do petróleo brasileiro”.

Presidente Barack Obama, que se diz um “sortudo” por ter uma parceira como Dilma.

Para ser embaixadora, Marta terá de renunciar
Para virar embaixadora do Brasil em Washington, como pretende, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) terá de renunciar aos seis anos que restam de mandato. Os artigos 52, 54 e 56 da Constituição obrigam a renunciar o parlamentar indicado para chefiar “missão diplomática de caráter permanente”, que é o caso de uma embaixada. Não precisa renunciar quando a missão diplomática é de “caráter temporário”, como integrar uma comissão que negocia acordo de paz, por exemplo.

Rito necessário
Missão diplomática permanente exige agrément, sabatina no Senado e apresentação de credenciais, como no caso de embaixadores.

Pisou no tomate
Lula não gostou de saber que o princípio por ele adotado, de designar apenas diplomatas para chefiar embaixadas, foi descartado por Dilma.

Embaixada aparelhada
Condutor da política externa do governo, o aspone Marco Aurélio Top-Top Garcia aplaudiu a designação da petista Marta para Washington.

Macumba for export
Agora que a cachaça nos EUA é made in Brazil, falta regulamentar a galinha preta, farofa, sangue de bode e fita vermelha.

Negócios suspeitos no BV
O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) deve propor CPI para investigar as suspeita de desvios no Banco Votorantim. É escândalo para Cachoeira nenhum botar defeito. Em 2008, quando passou a dividir seu controle com a família Ermírio de Morais, o Banco do Brasil avaliou o BV em R$ 8 bilhões. Hoje, a avaliação feita pelo próprio BB está entre R$ 5 e R$ 6 bilhões, nestes tempos em que os bancos registram lucros siderais.

Mais do mesmo
Apesar das suspeitas que permeiam seu relacionamento com o BV, o BB ainda quer comprar as ações da família Ermírio de Morais.

Negócio da China
Os Ermírio de Morais acham que o Votorantin vale R$ 15 bilhões, mas, para o BB, o banco pode ser avaliado em R$ 6 bilhões, no máximo.

PMDB, 46
O PMDB comemora seus 46 anos nesta terça, durante jantar em Brasília, com parlamentares, governadores e o vice Michel Temer.

Queda anunciada
O comandante da PM-DF, coronel Sebastião Gouveia, foi demitido pelo governador Agnelo Queiroz (PT), como esta coluna antecipou no dia 4. Era acusado de nada comandar, com a tropa (a mais bem paga do país) fazendo corpo mole. Em março houve 88 homicídios no DF.

Suspeito nº 1
O governo do DF acha que Cabo Patrício (PT), presidente da Câmara Legislativa, está por trás do motim na PM. É que Agnelo se negou a apoiar sua cobiça de alterar a lei para ele se reeleger à presidência.

A gota d’água
Jovens tenentes da PM-DF tentavam convencer amotinados a voltarem ao trabalho. Os “líderes” se queixaram a Cabo Patrício e os tenentes acabaram punidos. Foi a gota d’água na demissão do comandante.

Último a saber
Assim que foi informado da formação do bloco PTB-PR, o líder do governo, Eduardo Braga (PMDB), procurou a senadora Kátia Abreu (PSD). Ele tenta evitar a adesão do partido de Kassab ao bloco.

Os profetas
Não é improvável que o escândalo Cachoeira acabe em “piada de salão”, como avaliou o ex-tesoureiro Delúbio Soares. Começando e terminando com Cachoeira, os dois casos têm tudo para virar “caixa 2, que todo mundo faz”, como disse Lula na célebre entrevista em Paris.

Fezinha nada oficial
Nada como começar a semana árdua fazendo aquela fezinha. Como fez ontem às 9h20 o ocupante do carro oficial da Fiocruz, branco, JIG-1112, na lotérica “Sonho Dourado”, na 404 Norte, em Brasília.

Última testemunha
O ministro Arnaldo Versiani (TSE) vai hoje à Câmara ouvir o deputado Francisco Escórcio (PMDB-MA), testemunha de defesa da governadora Roseana Sarney em recurso contra sua diplomação. Ela é acusada de firmar R$ 800 milhões em convênios de março a junho de 2010.

Pisando em ovos
Bem que esta coluna avisou, há 10 dias: a primeira visita da presidenta Dilma aos EUA foi um “não evento”, com a tradicional “caça ao ovo de Páscoa” na Casa Branca – o maior destaque no blog oficial do governo.

Pensando bem…
…finalmente Obama vai descobrir que cachaça não é água, não.

PODER SEM PUDOR
Dialética do trabuco
Na campanha para presidente de 1960, Jânio Quadros foi a um comício em Aimorés (MG), onde o clima andava tenso entre facções da UDN e PSD. Assim que começou, José Aparecido de Oliveira foi com o deputado Padre Godinho à barbearia. Quando um fazia barba e outro cortava o cabelo, tiros foram ouvidos. Godinho decidiu sair da barbearia e Aparecido o ponderou:
– Não vá, eles continuam atirando!…
Padre Godinho parecia saber o que ocorrera lá fora:
– Vou, é meu dever de sacerdote. Preciso dar extrema-unção ao Jânio.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation