Política nacional 26/04/2012

“Nos arquivos da CPI dos Bingos, há depoimentos importantes”.

Deputado Onyx Lorenzzoni (DEM-RS) sobre doação de Cachoeira à campanha de Lula.

ES: Justiça pede força-tarefa contra roubalheira
A Polícia Federal ainda examina o pedido do desembargador Pedro Valls Feu Rosa, valente presidente do TJ do Espírito Santo, de enviar força tarefa ao Estado para auxiliar na investigação da impressionante roubalheira de R$ 50 milhões no município de Presidente Kennedy. Feu Rosa mandou prender, entre outros, o prefeito, cinco secretários, quatro vereadores e 14 empresários, na “Operação Lee Oswald”.

Cadeia cheia
Foram cumpridos em Presidente Kennedy (ES) 51 mandados de busca e apreensão, 13 de prisão preventiva e 15 de prisão temporária.

Cumplicidade
Além do prefeito Reginaldo Quinta, foram presos o presidente da Câmara Municipal, Dorlei Cruz, seu vice e mais dois vereadores.

Desdobramento
A “Operação Lee Oswald” é um  desdobramento de outras duas operações da Polícia Federal – a “Moeda de Troca” e a “Tsunami”.

Município rico
Presidente Kennedy é a campeã em recebimento de royal-ties do petróleo – quase 20% de todo o crédito destinado ao Espírito Santo.

‘Descontrole’
O ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) Luiz Antonio Pagot deixou a cúpula do PR (Partido da República) em pânico, à beira de um ataque de nervos, após se desfiliar ao partido. Pagot inclusive acusou o “dono” do PR, deputado Valdemar Costa Neto (SP), de ligações ao bicheiro Cachoeira, a quem atribui sua demissão do cargo. Pagot passou o dia em Brasília, ontem.

Abandonado
Além de se sentir traído pelo PT, Pagot é um poço de má-goas com o padrinho, senador Blairo Maggi (MT), sentindo-se abandonado.

Surtado
O senador Blairo Maggi já avisou à ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) que não tem o menor controle sobre Pagot: “Ele surtou”.

Indecente
Faixa da Força Sindical há dias, na Câmara dos Deputados:  “Nesta Copa marque um golaço com um trabalho descente” (sic).

Conexão perigosa
Os senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e o deputado Miro Teixeira (PDT), da CPI do Cachoeira, vão pedir à Justiça os inquéritos que envolvam autoridades com foro privilegiado. Suspeitam que têm conexões com a Operação Monte Carlo.

Investigados
Taques, Jarbas e Miro estão de olho em ministros, governadores, parlamentares, juízes, procuradores, presidente da República… São estes que têm direito ao chamado “foro privilegiado”.

Holofote eleitoral
O senador Sérgio Petecão (PSD-AC) registra o “clima eleitoral” da primeira reunião da CPI mista que investigará os esquemas do contraventor Carlinhos Cachoeira: “É todo mundo querendo aparecer”.

Se matasse…
O senador Aécio Neves (PSDB-MG), cuja atuação continua muito discreta, agora acha que “a maioria dos parlamentares está arrependida” da criação da CPI mista do Cachoeira.

A serviço de…
Agora que o deputado Odair Cunha (PT-MG) virou relator da CPI mista do Cachoeira, os eleitores poderão finalmente entender seu slogan na campanha para 3º Secretário da Câmara: “Um mandato a serviço”.

Convite direto
O deputado Fábio Faria (PSD) pediu que Aldo Rebelo (Esportes) avise os deputados na próxima visita ao Rio Grande do Norte. “Além de não receber o ministro, a governadora sequer nos avisa da visita”.

Faz de conta
O senador João Capiberibe (PSB) comemorou a decisão do Superior Tribunal de Justiça de afastar cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Amapá: “É um tribunal de faz de conta. Espero que sejam presos”.

Governo em foco
Para o deputado Ronaldo Caiado (GO), o “DEM pagou tudo o que tinha de pagar” em relação a denúncias envolvendo Carlinhos Cachoeira: “Somos expectadores privilegiados. Agora é a vez do governo”.

Olho por olho
Se apalpar menores é “diferença cultural” do diplomata tarado do Irã em Brasília, as mães deveriam tê-lo apedrejado para quitar a “diferença”.

PODER SEM PUDOR
Petista língua solta
Remígio Todeschini, ex-tesoureiro da CUT, que tem deficiência auditiva, e por isso fala alto, é também notório por sua falta de tato. Certa vez, ao dirigir uma seção do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), impaciente com a fala do conselheiro Rodolfo Tavares, da Confederação Nacional da Agricultura, o petista se virou para o economista Carlos Augusto Gonçalves, que secretariava a reunião, e, sem perceber que o microfone estava aberto e ampliava sua voz para toda a sala, “segredou”:
– Carlos Augusto, esse Rodolfo Tavares, além de direita, é um f.d.p!
A reunião, obviamente, acabou.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation