Acre é o 2º estado com menor tributação sobre a gasolina, revela pesquisa da USP

O Acre é o estado brasileiro que há anos vem cobrando os preços mais altos do país para seus combustíveis, tanto pra álcool, quanto pra gasolina. No entanto, surpreendentemente, o Acre também é o lugar que tem a 2ª menor tributação média aplicada ao principal imposto federal cobrado sobre sua gasolina: a Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico). Pelo menos é isso que revela uma pesquisa trimestral divulgada pela Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia da Universidade de São Paulo (FEA/USP).

De acordo com o estudo, o Acre tem um percentual de 34,60% de carga sobre o imposto na sua gasolina. Apenas Rondônia, com carga de 34,54% na Cide (6 centésimos abaixo da local), tem a tributação média estadual menor do que a acreana. Em comparação com a média regional, o percentual do Acre fica 73 centésimos percentuais abaixo do Norte (que é de 35,33%). Já quando o comparativo é com a média nacional (36,79%), o Acre fica com uma inferioridade de 2,19 pontos percentuais.

Os dados são referentes ao último trimestre de 2011 (outubro, novembro e dezembro). Neste período, a União reduziu a Cide da gasolina 2 vezes. A primeira queda foi de R$ 0,23/l para R$ 0,19/l. A segunda foi R$ 0,19/l para R$ 0,09/l.

A constatação da menor tributação do país é mais uma prova real de que são os custos de logística que mais encarecem a gasolina no Estado. Aliás, se o Governo Federal não aplicasse uma porcentagem mais baixa da Cide no Acre, o preço final da gasolina chegaria a encostar nos R$ 3,25 em Rio Branco e passasse dos R$ 2,60 na região do Juruá. 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation