Governo investe R$ 22,4 milhões na construção de escolas

Oferecer educação de qualidade na zona urbana e rural com escolas bem estruturadas e equipadas. Este é o objetivo do governo do Estado, que, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), investiu nos anos de 2011 e inicio de 2012 e investiu recursos da ordem de R$ 22,4 milhões na construção, reforma e ampliação de 150 escolas em19 municípios acreanos.

Em 2011, os municípios de Assis Brasil, Bujari, Brasileia, Cruzeiro do Sul, Epitaciolândia, Feijó, Jordão, Mâncio Lima, Manuel Urbano, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Porto Acre, Porto Walter, Rio Branco, Santa Rosa, Sena Madureira, Senador Guiomard, Tarauacá e Xapuri foram contemplados com escolas que oferecem os ensinos fundamental e médio.

Para Valcicléia Mendes, que reside no Seringal Cachoeira, em Xapuri, “com os investimentos na educação todos saem ganhando. Estamos recebendo uma educação que não se diferencia da que é oferecida nas cidades. Temos potencial para concorrer em igualdade com alunos de todo o Estado, principalmente no que diz respeito às provas do Enem, que visam o acesso a uma universidade”.

A mudança de vida e a alegria de pais, alunos e professores são percebidas em todos os lugares onde as escolas são inauguradas. “Estudo na escola dos meus sonhos”, relatou a pequena Maria de Fátima Ferreira, aluna do oitavo ano da Escola José de Sousa Martins, localizada na zona rural de Rodrigues Alves, inaugurada no último dia 4 de abril.

A alegria de Maria de Fátima é justificada se for levado em conta que sua escola foi construída no mesmo padrão de uma escola da zona urbana e vai beneficiar mais de 130 famílias.

Educação garante melhoria na qualidade de vida
Além de Rodrigues Alves, os municípios de Porto Acre, Xapuri e Epitaciolândia também tiveram suas escolas inauguradas recentemente. Em Porto Acre, a Escola Estadual Rural Cristo Rei vai atender alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e de alfabetização por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A chuva não apagou o brilho da inauguração da Escola Rural Esperança do Povo, no Seringal Cachoeira. A escola vai beneficiar 147 pessoas. Ela é fruto do Projeto Seringueiro, implantado pelo Centro de Trabalhadores da Amazônia (CTA) na década de 1980, tendo dele participado personalidades como Chico Mendes, Binho Marques e Marina Silva. Na época, a ideia desses líderes era criar uma escola que atendesse crianças, jovens e adultos que residiam naquela comunidade.

A presidente da Associação de Moradores e Produtores do Projeto Agroextrativista Chico Mendes (AMPPAE – CM), Naza Mendes, relatou que a reinauguração da escola marca o início de uma nova história. “Os investimentos feitos na educação nos últimos 13 anos permitiram que nossos filhos se formassem e voltassem para dar aula na comunidade, uma prova do respeito e compromisso do Governo com o povo do Acre”, relata.

O retrato da importância da educação na vida das pessoas é possível visualizar na vida da estudante Valcicléia Lima, ela relata que “antes era complicado estudar devido àsdificuldades no acesso a escola. Hoje a realidade mudou e tudo está bem mais fácil. Não imaginávamos que o Ensino Médio iria chegar na nossa comunidade. Isto nos incentiva a aumentar o nível de escolaridade. Hoje ninguém mais nos segura”, garante.

Mais de 670 escolas rurais recebem investimentos através do Proacre
Na implementação da segunda etapa do programa estão sendo beneficiadas 672 escolas rurais do Estado e das prefeituras, com ações de reformas, ampliações, adequações e manutenções da rede física, aquisição de equipamentos e mobiliário escolar, onde parte já está com os serviços concluídos. Isso representa o fortalecimento da autonomia escolar, tão almejada pelas comunidades.

Os investimentos financeiros do Estado em parceria com os municípios, oriundos do Proacre e de recursos próprios chegam a R$ 18 milhões, os quais são transferidos diretamente às contas dos Conselhos e Consórcios Escolares da rede estadual e municipal de ensino em todo o Estado, visando à implementação de práticas de descentralização administrativa e operacional das unidades escolares localizadas nas Zonas de Atendimento Prioritário (ZAPs).

O grande desafio agora é garantir o padrão de qualidade necessário para oferecer melhores condições no desenvolvimento das práticas de ensino-aprendizagem, ampliar os níveis de acesso aos serviços educacionais e garantir qualidade na educação, com a consequente elevação dos índices de desenvolvimento da educação básica.

As prefeituras são parceiras na execução do programa, pois garantem a estrutura de logística e apoio às suas escolas, que são a maioria, um total de 381 escolas municipais, enquanto o Estado alcança 291 escolas na sua rede de ensino. A grande sacada do programa, considerado revolucionário, é exatamente o envolvimento e a participação das comunidades rurais beneficiadas na execução dos recursos.

Para o secretário de Estado de Educação, Daniel Zen, “a abrangência do programa é extraordinária. Ele já chegou a 672 comunidades rurais e cada escola beneficiada representa uma comunidade alcançada, onde grande parte delas é de difícil acesso e nunca antes havia recebido ou executado diretamente um centavo de recursos públicos”.

O Coordenador Estadual dos Subprojetos Escolares do Proacre, Maurilho da Costa Silva, ressalta que “é gratificante ver que quase a totalidade dessas comunidades tem superado as dificuldades para receber e executar os recursos financeiros, pois para elas, ter uma escola nova, reformada e equipada dar prazer aos seus filhos em estudar, e principalmente por ver um direito constitucionalmente garantido sendo implementado em sua comunidade”. (Assessoria SEE)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation