Projeto Bombeiro Mirim lança 2ª etapa para atender 160 alunos da Capital

O projeto Bombeiro Mirim iniciou a sua 2ª fase na manhã de hoje, 17. Cerca de 160 alunos de escolas públicas da Capital irão participar do projeto durante 8 meses.
Projeto Bombeiro mirim 2
Neste ano, meninas também serão incluídas. A iniciativa foi lançada em Rio Branco no ano passado, que contou com 43 meninos se formando no curso.

De acordo com o coronel Flávio Pires, comandante do Corpo de Bombeiros, o projeto pode transformar a vida de cada adolescente. “O projeto Bombeiro Mirim visa à inclusão social. Tem uma proposta de ajudar na redução dos índices de violência envolvendo crianças e adolescentes. É a oportunidade que o Estado tem, junto da família, de levar noções de cidadania, ética e civismo”.

A iniciativa começou em Cruzeiro do Sul e neste ano pretende se atender a mais jovens. “Temos obtido resultados excelentes. Mudanças aconteceram com estes alunos nas atividades do bombeiro mirim. Começamos este projeto em 2010, em Cruzeiro do Sul, com apenas 46 adolescentes entre 12 e 14 anos. Neste ano, estamos trabalhando com 400 jovens. São 8 meses de capacitação e, neste período, eles terão atividades esportivas, noções de salvamento aquático, terrestre e altura, noções de defesa civil, cidadania, ética. É um trabalho de uma plenitude muito grande”, explicou o coronel.

O governador em exercício, César Messias, afirmou que há possibilidades de que, após o término do projeto, os participantes sejam encaminhados para o programa ‘Menor Aprendiz’. “O projeto é muito bom. Quatrocentas crianças em todo Estado vão estudar no horário normal e a complementação vem com este curso. A formação dos alunos vai contribuir para uma sociedade melhor. Esse projeto ganhou força e assim que terminar a passagem desse alunos pelo projeto, nós vamos encaminhá-los para o Menor Aprendiz”.

Jonathan Gadelha, 14 anos, foi um dos formados na turma do ano passado. Ele pretende ser bombeiro quando crescer. “Esse foi um grande sonho que eu tive e pude realizar. Fiz salvamento em altura, aquático e terrestre, além de combate ao incêndio. Pretendo seguir a carreira de bombeiro”, disse.

A adolescente Jaqueline Nascimento, 14 anos, será uma das meninas que irão participar do projeto. Ela disse que, apesar da atividade ser masculina, as mulheres podem realizá-la também”. Dizem que as mulheres são o ‘sexo frágil’. Acho que isso não tem nada a ver. Tenho grandes expectativas para esse curso, que irá incentivar também as meninas a ingressarem na carreira dos bombeiros. Esse será um grande desafio. A profissão é muito interessante”.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation