Senai qualifica pessoas com necessidades especiais

Bruno Henrique, 17 anos, é deficiente auditivo e está participando do curso de Mecânica de Motocicletas do Senai, instituição integrante do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac).

A presença dele e de outras pessoas com algum tipo de deficiência em cursos profissionalizantes da instituição se dá graças ao Programa Senai de Ações Inclusivas (Psai). O Psai é promovido em todo o país, para inserir públicos que de alguma forma sofrem preconceito ou possuem necessidades educacionais especiais.

“Meu sonho é ter uma profissão e vim para o Senai para ser um profissional bem qualificado. Estou enfrentando alguns desafios em sala de aula, mas com certeza terei chances como qualquer outro profissional”, ressaltou Bruno.

Além de Bruno, outros sete alunos com necessidades especiais também estão sendo qualificados pela instituição. Emerson de Souza Monte, 25 anos, é cadeirante e está matriculado no curso de Aprendizagem em Logística. “O meu sonho é poder participar de uma seleção competitiva, para que eu tenha a oportunidade de mostrar o Emerson competente e não o Emerson deficiente. Costumo dizer que eu não tenho problema algum, pois a cadeira de rodas apenas faz parte de mim. Eu tenho muito a dar”, afirmou o estudante.

A interação com os demais colegas de curso também contribui muito para o desenvolvimento e aprendizagem dos alunos especiais, garante o instrutor Carlos Celso. “É uma experiência muito boa, pois ele aprende conosco e nós aprendemos com ele. Sinto-me bastante gratificado em poder ajudar esses alunos, me deixa muito feliz. Fazemos um trabalho antes de iniciar os cursos para que o nosso dialeto fique compatível com o entendimento deles”, finalizou Celso. (Ascom Fieac)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation