Ashaninkas apresentam projeto para criação de agroindústria no Rio Amônia

Um projeto para implantação de uma agroindústria de polpa de frutas na comunidade indígena do Rio Amônia, em Marechal Thaumaturgo, foi apresentado pelos representantes da etnia Ashaninka, Benki Piyanko e Zezinho Yubi ao governador Tião Viana em reunião na manhã de ontem, 24.
governador recebe benk asha
Benki Piyanko explicou que este é um projeto de desenvolvimento sustentável com agregações de valores para a região do Vale do Juruá. “Isso dará uma oportunidade às comunidades indígenas a terem uma melhor condição, a ter desenvolvimento na área agrícola”, complementou.

O representante dos Ashaninka disse ainda que o projeto de uma agroindústria permitirá que a comunidade tenha uma produção com melhores resultados no mercado. “Por isso, nós viemos apresentar esse projeto ao Governo do Estado. Com isso nós também demonstramos a nossa posição de desenvolvimento como comunidade indígena perante a sociedade na região do Vale do Juruá”, pontuou.

Zezinho Yubi e Benki Piyanko deixaram uma cópia da proposta do projeto da agroindústria de polpa de frutas com o governador Tião Viana para que seja avaliado. “O governador se mostrou muito satisfeito com nossa proposta. Ele vai trabalhar para que isso possa acontecer o mais breve possível, para que possamos colocar essa agroindústria para funcionar”, disse Piyanko.

De acordo com o projeto, a agroindústria seria coordenada pela Associação Ashaninka do Rio Amônia (Apiwtxa).  O relatório entregue ao governador aponta que na região há grande quantidade de frutíferas como: cupuaçu, graviola, açaí e urvalha.

Os Ashaninka defendem que por meio desta ação o Governo do Estado estará potencia-lizando a produção de frutas do povo do Rio Amônia. “A agroindústria será gerenciada pela Cooperativa Ayõpare (sediada no próprio Yorenka Ãtame). Por esse projeto serão beneficiadas 80 famílias”, informa o relatório.

Ações da Apiwtxa
Zezinho Yubi e Benki Piyanko entregaram também um relatório de ações da Associação Ashaninka do Rio Amônia (Apiwtxa). Eles mostraram as iniciativas e projetos executados pela associação nos últimos 11 anos. Entre as ações destacam-se a realização de encontros, a criação do Centro Yorenka Ãtame, o trabalho de manejo de recursos naturais, entre outras.

Os indígenas destacam que foi iniciado na região um trabalho de caráter político que concilia práticas de manejo e uso dos recursos naturais, processos educativos interculturais e controle político Ashaninka sobre seu território. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation