Deputados debatem sobre investimentos na Saúde Pública

 DL 1094O caso de um pai que realizou um protesto na tarde da última terça-feira, 24, no aeroporto de Rio Branco, afirmando que não conseguiu agendar uma viagem para tratamento de saúde de seu filho, de cinco anos, pelo TFD, foi tema de debate na Assembléia Legislativa (Aleac), na sessão de ontem. Parlamentares da oposição criticaram os investimentos feitos pelo Governo do Estado na Saúde Pública.

Lamentando o caso, o deputado estadual Wherles Rocha (PSDB) disse que o governo vem fazendo investimentos em várias áreas, que não seriam prioritárias e deixando de lado setores importantes como a Saúde.
“O governo gasta milhões em coisas que não são importantes e não fornece a passagem para um pai viajar com seu filho para fazer tratamento de saúde. Isso é lamentável. O que esse homem passou foi uma verdadeira humilhação. Espero que o problema seja pelo menos resolvido”, desabafou.

O líder do governo na Aleac, deputado Moisés Diniz (PCdoB), rebateu as críticas, afirmando que Wherles Rocha poderia ajudar a solucionar o problema, mas preferiu fazer política com o caso, expondo a criança.

Ele explicou que a passagem não foi fornecida porque não havia vaga para atendimento do garoto nos hospitais de Brasília, São Paulo ou Goiânia. “A passagem só pode ser dada se a consulta for agendada para evitar problemas para os pacientes e seus acompanhantes. Nesse caso, não havia vagas, por isso, o TFD decidiu esperar mais um pouco até conseguir o agendamento da consulta”, explicou.

Para o primeiro secretário da Mesa Diretora da Aleac, deputado Ney Amorim (PT), a atitude do pai deve ser compreendida, mas não pode ser considerada fundamental para avaliar os investimentos feitos pelo Governo do Estado na Saúde Pública.

Amorim lembrou que nos últimos anos a Saúde no Acre melhorou consideravelmente, com muitos investimentos na aquisição de equipamentos, estrutura física e valorização dos profissionais.

“Muitos procedimentos que antes eram realizados apenas em outros estados, agora são feitos no Acre. Nossas Unidades de Saúde foram modernizadas e os profissionais estão valorizados, com melhores condições de trabalho. A Saúde Pública melhorou muito. Claro que esse caso é um fato isolado que já está recebendo a atenção devida”, garantiu.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation