Começo, meio e fim

Na arte de fazer política, sempre me chamou atenção políticos que são capazes de perceber o seu tempo e o tempo das coisas. Que no momento do caos conseguem visualizar saídas, sempre levando em conta o todo. Não são homens para viver parte, são coletivos, pois conseguem visualizar a latitude do horizonte e já sabem o caminho a ser percorrido para alcançar o amanhã. Neste sentido quero falar do senador do PT, Aníbal Diniz.

Aníbal carrega na formação de seu caráter a humildade e o labor adquirido na sua origem camponesa. Morava com seus pais e irmãos, na BR. 364, sentido Sena Madureira, quando por motivos de estudos foi para o seminário aos cuidados do Frei Paolino Baldassarri, sacerdote amado por todos e que se dedicou a salvar vidas com seus medicamentos da floresta e almas com o seu sacerdócio. Segundo o senador, foi dele que herdou a influência franciscana, a disciplina e o espírito pacificador, me-diando sempre à procura de soluções. Portanto, um líder político que prima pelo bem feito, às coisas como ele tem começo, meio e fim, sem perder o foco, diz o ex-governador Binho Marques.

Certa vez Binho Marques me contou que conheceu Aníbal Diniz no antigo Ceseme, hoje Escola Barão de Rio Branco, quando foi seu marqueteiro, por ocasião de uma disputa para o Diretório Estudantil com a chapa Sol, onde Aníbal era candidato a presidente e ainda tinha vasta cabeleira, tendo como seu adversário o professor José Alício,  também muito querido. Bem, o resultado não importa o que realmente importa é que desde muito cedo, o senador já fazia parte da legião de militantes da Teologia da Libertação, pois por muito tempo trabalhou no mimeógrafo da Diocese com D. Moacyr Grechi, onde elaborou e rodou inúmeros panfletos na luta pela libertação do povo de Deus do jugo opressor da Ditadura Militar.

Quando Marina Silva era deputada estadual, a mais votada do Acre, o militante Aníbal ousou e foi o primeiro a propor, em 1994, a sua candidatura ao Senado da República, para espanto de todos. Resultado: a mais votada também naquela disputa. Aníbal, mais uma vez, surpreende quando juntamente com o Carioca inovam, propondo a candidatura, do hoje governador Tião Viana, ao Governo do Acre 1994 e, repetindo a audácia, para senador em 1998, saindo vitorioso naquele pleito eleitoral.

De maneira equilibrada e com brilhante lucidez política, Aníbal sempre percebeu luz nas frestas do futuro. Foi e é um dos principais pensadores e construtores do projeto sustentável da Frente Popular, que fez do Acre um dos melhores lugares para se viver na Amazônia. Sempre defendeu a amplitude das alianças, desde que fossem pactuadas com base em princípios éticos e clara plataforma de políticas públicas, que promovessem o desenvolvimento ambiental e econômico sustentável com inclusão social, o que ressalta o seu pragmatismo.

Como secretário de comunicação por doze anos, nos governos dos companheiros Jorge Viana e Binho Marques, destacou-se pela habilidade e capacidade de assessorar os governadores em qualquer área da administração pública. Tem posição, um bom texto e uma boa fala. Sabe fazer um excelente diagnóstico da realidade, bem como propor alternativas. Tendo sido o principal mentor do hoje competente Sistema Público de Comunicação quando criou a Rádio FM e TV Aldeia, instalada em todos os municípios do Acre, amenizando o isolamento do nosso povo do interior com sua Capital Rio Branco. Portanto sendo um dos principais articuladores para o sucesso dos governos do PT e dos demais partidos que compõem a Frente Popular.

Hoje o senador Aníbal Diniz pauta seu mandato no apoio intransigente à presidenta Dilma Rousseff e ao governador Tião Viana, fazendo com o senador Jorge Viana um mandato de muita qualidade. Espe-cializou-se no Senado em olhar e concentrar suas ações nos bons projetos que já tramitam na Casa, pois optou por não entulhar o Congresso de projetos por pura vaidade.

Por tudo isso, Aníbal Diniz, em seu primeiro ano de mandato se destaca como o 7° senador mais atuante na mais alta corte legislativa do país, o que para quem teve o prazer e orgulho de por muitos anos trabalhar ao seu lado e ter bebido de sua fonte de sabedoria, não foi surpresa. Portanto, sendo o senador Aníbal Diniz essencialmente um político do coletivo, cabe ao PT e aos partidos da FPA, não esperar que ele se apresente candidato a reeleição e sim, pela sua trajetória, no momento oportuno convidá-lo.

Carlos Bernardo de Araújo (o Cacá) é advogado. e-mail:[email protected]
twitter: @caca.acre
facebook: WWW.facebook.com/caca.acre

Assuntos desta notícia

Join the Conversation