Ação Global realiza mais de 30 mil atendimentos em CZS

Um casamento coletivo de 121 casais encerrou com chave de ouro a primeira Ação Global em Cruzeiro do Sul. Até o final da cerimônia, foram computados nada menos que 30.786 atendimentos e 10.262 pessoas circulando pela Unidade Integrada Juruá do Sistema Fieac.
Ação Global CZS
Junto há 52 anos, com sete filhos e nove bisnetos, o casal mais experiente formado pelos aposentados Mamed Souza, 78, e Francisca Cassiano, 60, decidiu regularizar sua situação no evento. “Foi uma oportunidade que encontramos, já que a coordenação do evento facilitou tudo”, admitiu Mamed. Já o casal mais jovem, formado pelo técnico Antonio Anacleto, 21, e a estudante Roberta Monteiro, 17, mora junto há 10 meses mas, comparando com Mamed e Francisca, eles ainda têm uma longa jornada a cumprir pela frente.

Ambos os casais foram homenageados pelo Sesi, que os presenteou com um jogo de toalhas (mais jovem) e um edredom (mais experiente), além de dois ventiladores para o casal com mais filhos e a grávida de mais idade. “Quero aproveitar para agradecer ao Sesi por ter vindo cumprir essa grande missão aqui em Cruzeiro do Sul.

Que os casais que hoje estão selando união aqui na Ação Global sejam o sal que tempera a vida um do outro”, encerrou o juiz de paz Osmerino Ciqueira de Oliveira.

Segundo a coordenadora do núcleo de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) do Sesi, Tânia Sobrinho, a intenção do Sesi e da Rede Globo é facilitar a todo cidadão o acesso aos direitos essenciais, além de montar uma rede de solidariedade, unindo instituições públicas, privadas e do terceiro setor para a prestação de serviços gratuitos relevantes para a população. “Estamos felizes porque a população do Juruá e os nossos parceiros atenderam ao nosso chamado e nos ajudaram a realizar este grande evento, oferecendo serviços de qualidade. E o público, em especial, foi bastante compreensivo ao enfrentar as filas de atendimento que se formaram em todos os setores”, ponderou Tânia.

Realizada pelo SESI em parceria com a Rede Globo simultaneamente em todo o país, a Ação Global tem por objetivo permitir que o cidadão tenha acesso a uma série de benefícios concedidos pela administração pública, tal como atendimento gratuito de saúde e documentação básica. Assim, ao longo de suas 17 edições, o evento tem colaborado para a inclusão social e o crescimento pessoal de milhões de brasileiros.
“Nossa equipe está em festa por termos superado as metas estabelecidas, que eram de 24 mil atendimentos e 8 mil pessoas participando do nosso evento. Inicialmente, ficamos receosos por ser a primeira vez que realizaríamos em outro município, mas essa decisão acabou se mostrando um grande acerto”, avaliou Gisélia Belmina Beserra, superintendente do Sesi.

Valorização dos parceiros – Participaram como parceiras 51 empresas. O número de voluntários foi considerado positivo, 650 pessoas colaboraram para o sucesso da Ação Global 2012 no Acre. “Foi um dia importante tanto para a comunidade que foi atendida, quanto para os parceiros que a cada ano se mobilizam nesta ação de cidadania. Todos os voluntários estão de parabéns pela atitude solidária ao colaborar com o maior evento de responsabilidade social do nosso país”, disse a superintendente regional do Sesi/AC, Gisélia Beserra.

A engenheira civil Edilma Kobayashi, representando a empresa Kobayashi Engenharia, foi uma das parceiras da Ação Global. Apesar de estar há apenas um ano instalada em Cruzeiro do Sul, a construtora fez questão de participar do evento com um trabalho de conscientização do público a respeito da importância e do dever de se atentar para as exigências das prefeituras e do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) em torno de uma obra residencial.

“Muita gente pensa que, para construir, basta comprar o material e começar a obra. Mas não é assim, existe uma série de exigências feitas para que a construção não seja embargada – como projetos de arquitetura, estrutural, hidrossanitário, elétrico, entre outros. Além de cumprir a legislação, essa fiscalização busca salvaguardar a sociedade de possíveis danos que possam vir a ocorrer na execução de uma obra”, explicou a engenheira, que distribuía um informativo explicando e orientando todos os procedimentos a serem adotados numa obra.

A Central de Transplantes da Fundação Hospitalar (Fundhacre) participou emitindo o Cartão do Doador de Órgãos. A enfermeira Nazaré Peres explicava aos interessados que deveriam preencher o formulário de cadastro nacional, optando por quais órgãos gostariam de doar e que, dentro de poucos dias, receberão o cartão pelos Correios.

Outra entidade que se fez presente foi o núcleo cruzeirense do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), com objetivo de informar a respeito da doença e minimizar o ainda resistente preconceito da sociedade. “É uma maravilha poder participar da Ação Global, pois assim podemos chegar a mais pessoas. Muitos ainda pensam que a hanseníase é uma doença perigosa e não conhecem a nossa entidade”, disseram Manoel Alves da Silva e Raimundo Nonato de Oliveira Costa, diretores do Morhan.

Exame de câncer pioneiro na Região – Um dos serviços mais comentados e disputados foi o inédito exame de sangue para detectar vários tipos de câncer, cujo resultado, que normalmente leva de 15 a 20 dias, saía em 5 horas. Uma metodologia pioneira na Região Norte, segundo o médico Luiz Augusto Batista, responsável clínico do LabSul Diagnóstico, laboratório parceiro da Ação Global em Cruzeiro do Sul – que contou com a ação voluntária de 34 funcionários para atender a demanda do evento.

“Como Cruzeiro do Sul sempre foi prejudicada pelo isolamento, precisamos superar nossas dificuldades. Imagine fazer um exame desses aqui e levar quase um mês para saber o resultado? Por isso, importamos esse aparelho dos Estados Unidos, para podermos atender o Vale do Juruá com mais celeridade. Se fossemos computar em valores os exames feitos durante o dia, chegaríamos a um montante de R$ 25 mil”, comentou o médico. “Ter esses serviços todos em um só lugar foi uma bênção para nós”, agradeceu a vendedora Lucimar Lima.

O exame é feito por meio de coleta sanguínea e, a partir daí, pode-se detectar se o paciente possui células cancerígenas para mama, pulmão, fígado, estômago, colo uterino, ovário, próstata, testículo, colo-retal e trofoblasto. “É maravilhoso poder contar com esse tipo de serviço e oferecer o que há de melhor para o cidadão. Entendemos que a região do Juruá precisava de uma ação forte e, com a abertura definitiva da BR 364, foi possível ao Sistema FIEAC expandir e trazer seus projetos sociais para o interior – um objetivo muito forte que estabelecemos”, enfatizou o presidente Carlos Sasai.

Impacto – Pesquisa do Departamento Nacional do Sesi mostra que 66,4% das pessoas que buscam os serviços da Ação Global têm renda familiar inferior a dois salários mínimos. O estudo feito em 2007 revela que 76,6% dos participantes são mulheres e  59,8% dos  adultos têm entre 18 e 39 anos. Ao ajudar milhões de brasileiros a resgatar a cidadania, o programa, que prestou mais de 25 milhões de atendimentos desde a sua criação, em 1995, dá uma importante contribuição ao desenvolvimento sustentável do país. (Ascom Fieac)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation