Depois de ‘crise’, Rodrigo Pinto permanece internado

Vereador-Rodrigo-Pinto-surtO vereador Rodrigo Pinto (PMDB) continua internado na Pronto Clínica. Ele permanece sob efeitos de medicamentos. De acordo com familiares, a expectativa é que o parlamentar, que no último domingo, 29, foi detido por policiais militares, após danificar um carro no estacionamento da Maternidade Bárbara Heliodora, continue sob observação de médicos por alguns dias.

Segundo informações, Rodrigo Pinto apresentava comportamento agressivo, afirmando que sua esposa tinha sido ‘sequestrada’. Depois de ser conduzido a uma delegacia, onde quebrou uma porta e acabou se ferindo, ele foi levado ao Pronto Socorro e liberado.

Ao chegar à sua residência, ele teve outra crise e foi levado à Pronto Clínica. Familiares do parlamentar evitaram falar sobre o quadro clínico de Rodrigo Pinto.

O presidente da Câmara de Vereadores, Juracy Nogueira (PP), disse que Rodrigo não apresentava nenhum comportamento diferente. “Ele apenas reclamou que estava com dificuldades para dormir. Mas seu comportamento era normal. Não percebemos nenhum transtorno”, disse.

Na última sexta, 27, depois da solenidade de entrega de título de cidadão rio-branquense, Rodrigo Pinto foi visto no Restaurante Point do Pato. Na quinta-feira, 26, o vereador encaminhou um comunicado às redações, informando que seu perfil no Facebook tinha sido invadido por hackers.

Várias frases com tons agressivos foram postadas nas redes sociais como sendo de autoria do parlamentar. Parentes e amigos estão acompanhando o vereador. Segundo informações, assim que apresente melhoras, ele será transferido para um hospital em Brasília, para a realização de exames.

O surto – O vereador Rodrigo Pinto protagonizou uma cena de surto psicótico na tarde de domingo, 29, ao quebrar o vidro de um carro Honda Civic, de propriedade do filho do presidente da Câmara de Rio Branco, Juracy Nogueira (PP). Pinto acreditava que a mulher dele estaria dentro do carro estacionado no pátio da Maternidade Bárbara Heliodora.

Se não bastasse o dano ao carro, o vereador ainda quebrou as dependências da Delegacia de Polícia da 1ª Regional, para onde foi levado após ter sido preso por policiais militares.

Era por volta das 15h quando funcionários e pacientes da Maternidade observaram que algo estranho acontecia no pátio. Foi quando uma pessoa do local passou a filmar com o celular o descontrole do vereador, que estaria do lado de fora do carro chamando pela mulher e ordenando que ela saísse do veículo. O vereador imaginava haver pessoas dentro do carro e que uma delas seria a mulher. Mas não havia ninguém lá. Ele então pensou que a mulher poderia estar no bagageiro do carro e quebrou o vidro da porta para tirá-la de lá.

Quando a Polícia Militar já havia sido acionada, Pinto já estava dentro do veículo afirmando que a mulher dele teria sido ‘sequestrada’ e estaria dentro do bagageiro. Os policiais mostraram a Pinto que ela não estava lá e ele tentou sair do local, mas foi contido.

Depois, ele foi encaminhado ao Pronto Socorro de Rio Branco. Após receber atendimento médico, o vereador foi levado a Delegacia de Flagrante da 1ª Regional. Quando prestava depoimento ao delegado plantonista, o vereador pediu para ir ao banheiro e sofreu outro surto, quebrando a porta do banheiro da delegacia até ser contido de novo por policiais. Novamente, a polícia decidiu levá-lo ao Pronto Socorro para ser medicado, pois o vereador não apresentava condições emocionais de prestar esclarecimentos.

O proprietário do veículo não quis registrar queixa-crime contra o vereador e a polícia espera que nos próximos dias, Rodrigo Pinto tenha condições de explicar o ocorrido. (LENILDA CAVALCANTE)
 
 Mãe pede respeito para o vereador nas redes sociais

Em conversa pelo telefone com o jornalista Silvio Martinello, a mãe de Rodrigo Pinto, Fátima Almeida, desabafou que a família está muito chateada e magoada com os ataques e agressões morais sofridas pelo vereador nas redes sociais. Ela contou que Rodrigo passava por atribulações na sua vida pessoal.

Por isso, ele estava  sendo acompanhado por médico e tomando remédios que causavam efeitos colaterais fortes. Ela disse que os amigos e parentes do filho estão bem tristes com o ocorrido e pediu para que todos possam respeitar a vida pessoal do parlamentar, inclusive por todo o histórico de sofrimento que sua família vem passando desde a morte do pai de Rodrigo, o ex-governador Edmundo Pinto. “Quem nunca sofreu por um problema familiar, por amor?” desabafou.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation